Como vender a minha casa sem imobiliária?

Vender uma casa nem sempre é fácil. Vender uma casa sem a ajuda de uma imobiliária mais complicado é.

Se pensarmos bem, atualmente a decisão de vender uma casa requer planeamento. E, por vezes pode assustar quem está nessa situação, devido a toda a burocracia envolvida.

E, é esse o motivo pelo qual muitas pessoas acabam por recorrer às agências imobiliárias. Ou seja, querem evitar ter de lidar com este processo. E neste caso, optar pela melhor imobiliária para vender pode facilitar o processo.

O problema é que ao contratar este tipo de serviço, precisa ter em mente que será necessário pagar uma comissão à imobiliária. Essa comissão varia sobre o valor da venda. Por isso, muitas vezes acaba por ser mais vantajoso vender um imóvel por conta própria.

Contrariamente ao que possa pensar é possível vender casas de forma rápida e sem grandes dores de cabeça. Para isso basta conhecer um pouco sobre os procedimentos envolvidos no processo de venda. É por exemplo importante conhecer os documentos associados ao processo de venda de um imóvel.

Para ajudar quem pretende encarar esta missão, elaborámos um manual com todas as informações que precisa conhecer, bem como os passos para vender um imóvel por conta própria.

Como vender uma casa por conta própria?

Se decidiu vender um imóvel sem contratar os serviços de uma imobiliária, existem algumas informações muito importantes que precisa saber. E, existem também dicas que podem auxiliar a agilizar o processo de venda.

Ora conheça-as de seguida.

1 – Imóvel em bom estado

Pode parecer irrelevante, mas no fim das contas faz toda a diferença. Antes de anunciar uma casa para venda, é preciso organizar tudo para que esta esteja em bom estado de conservação (e limpa).

Por isso, pode ser interessante uma pintura nova e o arranjo de pequenos defeitos, já que isso pode gerar um retorno muito positivo. Lembre-se que a primeira impressão é que conta. Por isso passe uma boa imagem ao potencial comprador.

Seguindo o mesmo raciocínio, as fotos que irá publicar devem realçar e enriquecer ainda mais o espaço. Portanto, pense em tudo, desde a iluminação do ambiente, até a disposição dos móveis.

2 – Avaliação e precificação do imóvel

É nesta etapa que muitos cometem erros, e acabam por atribuir um valor de venda muito superior ao que o imóvel realmente vale. Para não cometer este erro, o primeiro passo é avaliar as principais características da casa.

Isso inclui considerar a localização, o tipo de imóvel, a infraestrutura, e todos os outros atributos importantes. Feito isso, é hora de começar a fazer trabalho de campo, ou seja, procure outros imóveis que estejam à venda com características similares ao seu.

Através dessa pesquisa, irá obter uma melhor noção dos valores cobrados por imóveis parecidos e na mesma região em que o seu se encontra. Partindo para a precificação, é preciso ter ainda alguns cuidados.

Ao estabelecer um preço para a casa, deve ter em mente que o valor divulgado deve deixar (preferencialmente) uma margem para negociação. Isso porque certamente um possível comprador não vai simplesmente aceitar o preço sem tentar negociar o mesmo.

Burocracia e documentos necessários para vender um imóvel

Burocracia e documentos necessários para vender um imóvel

O processo para se vender um imóvel pode parecer um tanto ao quanto complexo para quem não conhece o funcionamento do mercado imobiliário. No entanto, ter atenção ao reunir os documentos necessários já é um grande passo para concretizar a venda sem grandes problemas.

Perceba de seguida quais os documentos e processos burocráticos aos quais deve estar atento.

1 – Escritura

A escritura do imóvel é um documento essencial para realizar o processo de venda. Para conseguir este documento, deve ir ao Cartório Notarial onde a escritura se realizou.

2 – Caderneta Predial

A caderneta predial deve ser atual, e é emitida pela Repartição de Finanças da área em que o imóvel está localizado. Este documento pode também ser retirado do portal das finanças online.

3 – Certificado energético

O certificado energético do imóvel é emitido com a avaliação de um perito qualificado pela sua ordem.

Este documento atesta a qualidade do ar no interior dos edifícios e tem a validade de 10 anos.

4 – Ficha Técnica de Habitação

Este documento passou a ser obrigatório para imóveis posteriores a março de 2004. Saiba que a responsabilidade da elaboração da Ficha Técnica de Habitação é do Promotor Imobiliário.

5 – Plantas

As plantas do imóvel são obrigatórias e devem incluir as garagens ou anexos quando os houver. A construtora do imóvel ou a Câmara Municipal podem emitir este documento.

6 – Licença de Utilização

O Alvará de Licença de Utilização também pode ser chamado de Licença de Habitabilidade, e em casos de imóveis ainda em fase de construção, este documento é substituído pelo Alvará de Licença de Construção.

Ambos os documentos podem ser adquiridos na Câmara Municipal.

Estes são os principais documentos que precisa ter em mãos para vender uma casa. Além, é claro, dos documentos de identificação de todos os vendedores.

Se teve sucesso na sua missão até aqui, e já tem um comprador interessado, é hora de elaborar um Contrato Promessa Compra e Venda, que também é conhecido como CPCV.

Elaborar este documento envolve conhecimentos em relação à legislação de compra e venda de imóveis. Por isso, de forma a garantir que não existem problemas é importante considerar o auxílio de um profissional.

Um advogado estará mais do preparado para cumprir todas as exigências legais do processo, trazendo mais segurança e garantias à negociação.

Como pode ver, os passos para vender um imóvel não são propriamente uma coisa do outro mundo, basta planear e estar atento às exigências e documentos necessários, além de investir num bom anúncio para atrair possíveis compradores.

Siga nossas dicas e terá sucesso na sua empreitada muito mais facilmente do que imagina.

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

Assuntos

Faça a sua simulação e compare

Artigos recentes