Saldo contabilístico, cativo, disponível e autorizado

Ter uma vida financeira organizada nem sempre é uma tarefa fácil. É preciso estar sempre a acompanhar de perto o saldo da conta e as movimentações realizadas através dos extratos emitidos pelos bancos.

O problema é que para muitas pessoas é difícil compreender as informações e classificações dos tipos de saldo que são fornecidos nesses extratos ou talões. Essa confusão pode levar, inclusivamente, a algum prejuízo financeiro.

De forma a esclarecer este assunto de um modo simples e objetivo, hoje resolvemos falar do significado dos saldos contabilístico, cativo, disponível e autorizado.

Para isso, o NValores elaborou um guia onde contém as principais informações para acabar de vez com todas as suas dúvidas.

Classificação dos saldos da sua conta à ordem

Exemplo dos saldos contabilístico, disponível, autorizado e cativo

Conforme mencionado, os saldos da conta à ordem podem ser inseridos em quatro categorias, sendo elas:

  1. Contabilístico
  2. Disponível
  3. Autorizado
  4. Cativo

É importante frisar que as diferenças entre alguns deles são um pouco subtis. E porque é que lhe dizemos isso?

Simplesmente porque pode complicar a vida de quem não está familiarizado com a linguagem bancária.

Mas, para perceber tudo, continue a ler o nosso guia e perceba o que significa cada tipo de saldo que aparece no seu extrato bancário.

1 – Saldo contabilístico

Ao emitir um talão para consulta de movimentos de conta, um dos saldos ao qual terá acesso é o saldo contabilístico. Em termos simples, pode-se dizer que ele representa o saldo real que a sua conta bancária tem.

Ou seja, o saldo contabilístico é o resultado da diferença entre os créditos e os débitos feitos na sua conta bancária até o momento da consulta.

Resumidamente podemos dizer que este saldo representa efetivamente o dinheiro que tem.

2 – Saldo disponível

Quando falamos do saldo disponível estamos a falar do montante em dinheiro que pode movimentar, sem que para isso tenha de pagar juros, comissões ou qualquer tipo de outros encargos.

Assim, o saldo disponível representa o valor que pode movimentar na conta naquele momento. Neste saldo está incluído o saldo contabilístico que é o seu dinheiro, além de outros valores que possa ter disponíveis.

Aqui é importante ter muita atenção, pois é comum haver confusões em relação ao saldo disponível. Isso acontece essencialmente devido à divergência de valores.

Tenha em mente que pode haver valores que ainda serão debitados, ou que já ficaram cativos para pagamentos em processamento.

Se esse for o caso, o saldo disponível pode apresentar um montante maior do que aquele realmente constante na sua conta bancária.

3 – Saldo autorizado

O saldo autorizado, por sua vez, constitui os valores dos fundos próprios do cliente acrescido do montante de crédito que pode utilizar, e que resultam em juros e encargos.

Esses créditos são produtos contratados em determinada conta como os limites de descoberto e linhas de crédito automáticas. É preciso estar muito atento, pois se por algum motivo utilizar esses valores deverá pagar juros.

Assim, para facilitar o entendimento, pode-se dizer que o saldo autorizado difere do saldo disponível, na medida em que engloba eventuais valores de crédito que uma vez utilizados, geram encargos.

Veja também: Como obter e ler o seu extrato bancário

4 – Saldo cativo

O saldo cativo é sempre aquele que gera maiores dúvidas, principalmente em quem não tem muito controlo dos pagamentos que faz.

Quantas vezes lhe aconteceu estar a olhar para o talão multibanco ou para o extrato bancário e ter um valor cativo que não faz a mínima ideia do que é?

Embora não lhe possamos dizer ao que se refere o saldo que tem cativo na sua conta, podemos explicar-lhe o que é este tipo de saldo.

O saldo cativo representa valores que se encontram retidos pelo banco de modo a garantir que determinada operação em processamento seja executada.

Ou seja, até o pagamento desse valor o montante do saldo cativo fica indisponível, para que possa ser debitado da sua conta para pagamento a terceiros.

Para compreender melhor este conceito, basta pensar em algumas situações em que há a ocorrência do saldo cativo.

Por exemplo:

  • Transferências entre bancos
  • Operações feitas em dias não úteis
  • Transações internacionais
  • Pagamentos com um cartão MBWay (um bom exemplo são os pagamentos do Uber ou Uber Eats)

Todos estes exemplos são procedimentos que levam um certo tempo até serem finalizados. Portanto, o saldo relativo a essas operações em processamento fica cativo, ou seja, reservado.

É importante pelo menos entender as informações básicas acerca dos tipos de saldo da conta para conseguir administrar melhor o seu dinheiro.

Entretanto, para evitar mal-entendidos e eventuais prejuízos financeiros, dê sempre especial atenção ao saldo contabilístico.

Isso porque é ele que reflete a sua verdadeira situação financeira, e, portanto, apresenta o montante monetário que realmente tem. Dessa forma, evita comprometer o orçamento familiar, garantindo uma boa gestão financeira.

Veja também: Extrato de comissões da conta à ordem

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt