Conheça os 7 tipos de dívidas mais comuns em Portugal

Não é de agora que a crise assola Portugal, e é há conta disso que muitas famílias se encontram em situação de sobre-endividamento. Uma grande parte das famílias portuguesas têm diversos tipos de dívidas e nem sempre é simples realizar o pagamento de todas atempadamente.

Se não sabe quais as tipologias de dívidas existentes em Portugal, o NValores explica-lhe de forma bastante simples.

Ter dívidas é algo bastante comum na nossa sociedade, no entanto, devido ao momento de incerteza económica que o nosso país ainda vive, muitas pessoas acabaram por contrair empréstimos atrás de empréstimos (em muitos dos casos para pagar outros créditos) e ficaram numa situação de endividamento.

Mas sabe quais os tipos de dívidas que uma pessoa pode ter?

1 – Dívidas às finanças

As dívidas fiscais um dos endividamentos mais comuns por parte dos portugueses. Este tipo de dívida engloba atrasos nos pagamentos de IRS, IUC, IMI… enfim, todos os tipos de impostos que um contribuinte é obrigado a pagar com caracter anual.

As finanças têm um protocolo bastante rígido no que concerne esta situação, e o não pagamento das mesmas pode resultar em diversos problemas para o contribuinte, nomeadamente a inclusão na lista de devedores, cobrança coerciva e em casos mais extremos a penhora do salário e de outros bens.

2 – Dívidas à Segurança Social

Tal como acontece com as Finanças, as dívidas à Segurança Social são também bastante comuns e referem-se essencialmente ao incumprimento ou atraso no pagamento das obrigações com esta entidade.

Quando um contribuinte tem diversas dívidas à Segurança Social, tal como acontece com as Finanças, fica incluído numa lista pública de devedores e a não regularização das mesmas pode levar a um processo executivo e consequentemente a penhora de salários ou bens.

De forma a facilitar a vida a quem tem este tipo de dívida é possível realizar o pagamento da mesma em prestações.

3 – Dívidas derivadas de empréstimos entre particulares (informais)

Estes tipos de dívidas são as mais comuns entre os portugueses, principalmente em casos de desemprego ou em situações que o requerente tem o nome na lista negra do Banco de Portugal e por esse motivo não pode solicitar um crédito pelos meios tradicionais.

São designadas por informais, dado que numa grade maioria das vezes não têm nenhum contrato associado, e por isso não há lugar ao pagamento de juros de mora.

Estão incluídas nesta tipologia de dívidas os empréstimos entre familiares, entre amigos, fiados em pequenos comércios…

Veja também: O que pode acontecer se não pagar um empréstimo?

4 – Dívidas sem garantias

As dívidas sem garantias são aquelas em que o contribuinte não tem de dar qualquer tipo de garantia (como por exemplo hipoteca da casa) para poder subscrever os produtos financeiros.

Desta forma, podemos enquadrar nestes tipos de dívida os cartões de crédito, os empréstimos pessoais e ao consumo.

5 – Dívidas com garantias

Este tipo de dívida é bastante comum quando é contratado um crédito habitação ou um crédito automóvel, em que o próprio bem adquirido serve como garantia ao banco, ou seja, no caso de o pagamento não ser efetuado nas datas combinadas, o banco pode ficar com os bens e vende-los posteriormente para o pagamento das dívidas.

6 – Dívidas de serviços

Embora estas não sejam as mais comuns, já não é raro que uma família tenha dívidas de serviços, ou seja, faltas no pagamento da água, luz, gás, televisão por cabo… Enfim, serviços que são essenciais a uma vida mais cómoda.

Veja também: Prescrição de dívidas desde 6 meses até 20 anos

7 – Dívida pública

Este tipo de dívida começou a ser muito falada desde o momento em que a crise se instalou no nosso país. Embora não seja uma dívida associada diretamente a um contribuinte (como é o caso das que apresentámos anteriormente), é a dívida que um Estado tem e que já se encontra vencida.

As dívidas publicas podem ser divididas em duas categorias distintas:

  1. Dívida interna – São dívidas que o Estado tem para com diversas entidades financeiras e fornecedores dentro do próprio país;
  2. Dívida externa – É o somatório de todas as dívidas, empréstimos e financiamentos contraídas pelo governo a entidades financeiras internacionais.

Como resolver estes tipos de dívidas

Se é um dos milhares de portugueses que atualmente se vê a par com algumas dívidas e está a começar a ter dificuldade em proceder ao pagamento das mesmas atempadamente, poderá ser uma boa opção para si verificar a possibilidade de obter um crédito consolidado, ou seja, juntar todas as suas dívidas num único crédito.

É importante tentar resolver a questão ou renegociar com os bancos antes que deixe efetivamente de conseguir proceder ao pagamento e acabar por ter problemas com o banco de Portugal. Esta situação é aquela que deverá ser evitada a todo o custo, pois isso significa que o seu nome vai ficar na CRC (ou seja, na famosa lista negra do Banco de Portugal).

Agora que já sabe quais os tipos de dívidas mais comuns em Portugal, olhe bem para as suas contas e veja o que poderá fazer para sentir um alívio financeiro relativamente às mesmas.

Se pretender saber mais informações sobre o crédito consolidado, poderá enviar-nos um pedido de esclarecimentos sem qualquer compromisso vinculativo.

Se tive alguma dúvida ou questão que queira ver esclarecida, não hesite em questionar-nos, pois estamos ao seu inteiro dispor para qualquer esclarecimento.

Veja também:

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

  1. Carlos Dinis on 30 Set 2016:

    uma divida de 20 anos de 10€, pedem agora para pagar 1300,00 sabendo eu que paguei tudo, mas que na altura não me deram comprovativo; como faço para resolver esta questão que é um roubo.
    Obrigado

    Reply to Carlos Dinis

Assuntos

Faça a sua simulação e compare

Artigos recentes