Fixa ou Variável: Qual a melhor taxa de juro?

Fixa ou Variável: Qual a melhor taxa de juro?

By | 2017-05-19T01:32:32+00:00 13/07/2016|Categories: Crédito à Habitação|

Cada vez mais os portugueses recorrem a créditos bancários para as mais variadas necessidades, no entanto, ir ao banco e pedir um crédito não é algo que deve ser realizado de ânimo leve.

Se está a ponderar pedir um crédito ao banco ou a uma entidade credenciada, existem diversas questões que deve ter em conta antes de o fazer.

É importante verificar qual o prazo de pagamento mais adequado, se tem ou não seguro incluído, mas principalmente qual a melhor taxa de juro (e se deve optar por uma taxa de juro fixa ou variável).

Estas questões não são na maioria das vezes tidas em conta na altura de solicitar o crédito, e por isso as pessoas acabam muitas vezes com créditos altíssimos e que não conseguem pagar (levando ao efeito bola de neve).

Então mas afinal quando é que deve optar por uma taxa de juros fixa ou por uma variável?

O NValores explica-lhe tudo o que precisa saber sobre ambas.

1 – Quais as diferenças entre a taxa de juro fixa ou variável

Existem diferenças bastante significativas no que concerne ambas as taxas de juros, no entanto de forma simples, temos o seguinte:

1.1 – Taxa de juro fixa

Neste caso a taxa de juro do empréstimo mantém-se inalterada durante o prazo que tiver sido acordado com a instituição de crédito (independentemente do tempo) e tem por base a taxa swap (que é praticada no mercado interbancário durante o período do contrato em vigor);

1.2 – Taxa de juro variável

Neste caso a taxa de juro do empréstimo resulta da soma de duas componentes: o indexante ou taxa de referência, que é a Euribor, e o spread.

Assim sendo, a mesma altera-se conforme o período que seja contratado (pode ser 1 mês, 3 meses, 6 meses, 12 meses…), sendo que a sua revisão apenas é realizada após o período da Euribor contratada ter terminado.

Um cliente que escolha a taxa de juro variável a 6 meses, vê ao final desse tempo a nova taxa ser calculada tendo por base a média do mês anterior.

É importante salientar que qualquer cliente pode sempre alterar a modalidade da taxa de juro associada ao seu contrato, no entanto, para que tal aconteça é necessária a realização de uma negociação com a entidade credora.

Acompanhe trimestralmente: As taxas máximas de usura que podem ser aplicadas no crédito ao consumo.

2 – Qual a melhor taxa de juro?

Escolher qual a melhor taxa de juro é algo que vai depender do tipo de crédito que solicitou (por exemplo, no caso de estar a ponderar fazer amortizações antecipadas, um crédito de taxa variável não tem qualquer custo de amortização) e dos seus objetivos.

No entanto, antes de tomar uma decisão, é importante estar atento às variações das taxas Euribor (já que são as mesmas que vão influenciar o valor final das taxas de juro).

Estas atualmente estão negativas e em trajetória descendente (prevendo-se de acordo com o Banco Central Europeu que apenas em 2020 as mesmas sejam positivas).

Por norma, um cliente que escolha uma taxa de juros fixa paga mais, mas ao mesmo tempo não assume os riscos de oscilação ascendente das mesmas.

É importante que nunca se esqueça de primeiramente fazer uma análise ponderada e fazer uma pesquisa de mercado, para verificar qual o crédito que mais compensa tendo em conta as suas necessidades específicas.

Se tiver alguma dúvida ou questão sobre este tema, não hesite em contactar-nos.

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-05-19T01:32:32+00:00 13/07/2016|Categories: Crédito à Habitação|

About the Author:

Ricardo Rodrigues é CEO e Fundador do NValores desde 2013. Plataforma para pedir crédito online. Nomeadamente crédito pessoal, crédito consolidado e crédito habitação. Email: geral@nvalores.pt