Crédito com taxa fixa ou variável – Qual a melhor?

Se está a ponderar pedir um crédito ao banco ou a uma entidade credenciada, é importante verificar qual o prazo de pagamento mais adequado, se tem ou não seguro incluído, mas principalmente qual a melhor taxa de juro e se deve optar por crédito com taxa fixa ou variável).

Então mas afinal quando é que deve optar por uma taxa fixa ou por uma variável?

O NValores explica-lhe tudo o que precisa saber sobre ambas.

Quais as diferenças entre a taxa fixa ou variável?

Existem diferenças bastante significativas no que concerne ambas as taxas de juros, no entanto de forma simples, temos o seguinte:

Taxa fixa

Vantagem: A mensalidade não é afectada pelas oscilações da Euribor. A Euribor sobre e a prestação do crédito mantém-se.

Neste caso a taxa de juro do empréstimo mantém-se inalterada durante o prazo que tiver sido acordado com a instituição de crédito (independentemente do tempo) e tem por base a taxa swap (que é praticada no mercado interbancário durante o período do contrato em vigor);

Taxa variável

Vantagem: A mensalidade é afectada pelas oscilações da Euribor. A Euribor sobre e a prestação do crédito Aumenta.

Neste caso a taxa de juro do empréstimo resulta da soma de duas componentes: o indexante ou taxa de referência, que é a Euribor mais o spread.

Assim sendo, a mesma altera-se conforme o período que seja contratado (pode ser 1 mês, 3 meses, 6 meses, 12 meses…), sendo que a sua revisão apenas é realizada após o período da Euribor contratada ter terminado.

Um cliente que escolha a taxa de juro variável a 6 meses, vê ao final desse tempo a nova taxa ser calculada tendo por base a média do mês anterior.

É importante salientar que qualquer cliente pode sempre alterar a modalidade da taxa de juro associada ao seu contrato, no entanto, para que tal aconteça é necessária a realização de uma negociação com a entidade credora.

Qual a melhor taxa de juro?

Escolher qual a melhor taxa de juro é algo que vai depender do tipo de crédito que solicitou. No entanto, em geral o crédito com taxa variável é mais barato do que com taxa fixa, pois os créditos  tem taxas mais baixas.

Antes de tomar uma decisão, é importante estar atento às variações das taxas Euribor (já que são as mesmas que vão influenciar o valor final das taxas de juro).

Estas atualmente estão negativas e em trajetória descendente (prevendo-se de acordo com o Banco Central Europeu que apenas em 2020 as mesmas sejam positivas).

Por norma, um cliente que escolha uma taxa de juros fixa paga mais, mas ao mesmo tempo não assume os riscos de oscilação ascendente das mesmas.

É importante que nunca se esqueça de primeiramente fazer uma análise ponderada e fazer uma pesquisa de mercado, para verificar qual o crédito que mais compensa tendo em conta as suas necessidades específicas.

Autor:

Ricardo Rodrigues

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Email: geral@nvalores.pt