Tabela salarial da função pública em 2015

Tabela salarial da Função Pública em 2015

By | 2017-05-19T01:32:48+00:00 14/08/2015|Categories: Emprego|

O Orçamento de Estado 2015 trouxe algumas novidades, no que diz respeito à tabela salarial da Função Pública. Para uma parte significativa dos trabalhadores da Função Pública, as notícias as novidades até são positivas, já que os seus salários líquidos vão ficar ligeiramente mais “desafogados”.

Isto acontece não só devido às novas tabelas de retenção (que vão favorecer os contribuintes com filhos), mas também como consequência da reposição de parte dos cortes salariais que afetavam os funcionários públicos com salários acima dos 1500 euros.

Alterações Atualmente em Vigor

Os funcionários públicos com ordenados superiores a 1500 euros continuam a sofrer cortes salariais, contudo em 2015, os cortes serão 20% inferiores aos praticados em 2014.

De acordo com a Tabela Salarial da Função Pública, os cortes salariais que serão aplicados nos trabalhadores do Estado vão funcionar da seguinte forma:

  • Salários entre 1500 e 2000 euros: os cortes desceram de 3.5% para 2.8%
  • Salários entre 2000 e 4165 euros: os cortes vão de 2.8% a 8%
  • Salários acima de 4165 euros: corte de 8% (recorde-se que em 2014, este escalão salarial sofria um corte de 10%.

Desta forma vemos que os cortes salariais podem ir de 2.8% até 8%, dependendo do nível de salário auferido por cada trabalhador.

Utilizando como exemplo, um trabalhador da Função Pública com um salário bruto no valor de 1800 euros, vemos que em 2014, o corte salarial era de 63 euros. Face às alterações introduzidas na nova Tabela Salarial da Função pública, o corte passa a ser de 50,40 euros.

Progressões Na Carreira Permanecem Congeladas

Como já se esperava, as progressões das carreiras e as promoções da administração pública permanecerão congeladas em 2015. As poucas exceções ao congelamento de carreiras incluem:

  • Funcionários que mudem de posto ou categoria na GNR, PSP, Polícia Judiciária, Forças Armadas, Serviços de Estrangeiros e Fronteiras(SEF), Sistema de Informações da República Portuguesa (SIRP), ou guardas prisionais.
  • Funcionários em mobilidade intercarreiras ou de categorias.

Todos os funcionários da Função Pública que não se incluam nestas exceções continuarão a ser alvo de congelamento de progressão na carreira.

Veja A Nossa Sugestão

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-05-19T01:32:48+00:00 14/08/2015|Categories: Emprego|

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

Leave A Comment