simulador de irs para 2014

Simulador de IRS para 2014

By | 2017-06-09T01:41:14+01:00 13/03/2014|Categories: Impostos|Tags: |

[fusion_dropcap]À[/fusion_dropcap]medida que nos aproximamos das datas de entrega do IRS, começam a surgir as habituais questões relativamente às regras de preenchimento e ao cálculo da quantia que se terá que pagar ou receber.

Para ajudar nesta questão, pode utilizar o simulador de IRS para 2014 do PWC, que irá tornar a missão de fazer todas as contas bastante mais simples e prática.

Este simulador IRS 2014 online é apenas uma das muitas ferramentas interessantes que pode encontrar relativamente ao Imposto Sobre o Rendimento de Pessoas Singulares.

O NValores também dá grande importância ao IRS e no nosso site irá encontrar tudo o que precisa de saber sobre os prazos de entrega do IRS em 2014 e sobre o preenchimento do IRS em 2014.

Ao usar o simulador de IRS para 2014 PWC consegue ter acesso, de imediato, ao valor que terá de liquidar de IRS (o que paga) ou o valor a que terá o direito de reembolso (o que recebe). O que permite fazer uma gestão mais assertiva e cuidada das suas contas, sabendo desde logo quanto terá de pagar ou quanto irá receber.

A forma de funcionamento do simulador de IRS para 2014 é muito simples: ao inserir os valores que recebeu e que pretende apresentar como despesas, o simulador vai calcular o IRS 2014, de forma automática e precisa.

Para garantir que está a considerar todos os rendimentos e despesas que devem ser apresentados, vamos fazer um pequeno guia IRS para 2014.

Simulador de IRS 2017

Guia IRS para 2014

Em relação aos rendimentos deve apresentar todos os rendimentos auferidos ao longo do ano de 2013. No caso de se tratar de rendimentos por conta de outrem, ou pensões, isso é feito através do anexo A. Mas se os rendimentos totais ou parciais forem considerados como rendimentos empresariais e profissionais já deve usar o anexo B.

Os rendimentos empresariais e profissionais incluem:

  • Trabalhadores por conta própria em regime de contabilidade organizada ou simplificada
  • Quem esteja ao abrigo da transparência fiscal e herança indivisa
  • Quem usufrua de rendimentos de capitais (as mais valias de ações são de declaração obrigatória; as outras situações, como contas poupança, seguros financeiros, contas a prazo, etc. podem ser declaradas caso seja vantajoso para o contribuinte)
  • Quem arrende imóveis e por isso receba rendimentos prediais
  • Quem tiver vendido imóveis ou títulos de investimento, são as chamadas “mais-valias” e outros incrementos patrimoniais
  • Os imóveis vendidos e isentos de tributação também têm de ser declarados, são as “mais-valias” não tributadas
  • Quem tiver recebido Herança indivisa
  • Todos os rendimentos obtidos no estrangeiro
  • Todos os rendimentos de residente não habitual

Além dos rendimentos obtidos no decorrer do ano de 2013 também deve apresentar as despesas em que incorreu, através do anexo específico para as Deduções e Benefícios Fiscais (Anexo H).

É através da apresentação destas despesas que irá conseguir reduzir o valor a pagar ou aumentar o reembolso que pode receber, por isso agarre em todas as faturas de 2013 e comece a organizá-las da seguinte forma:

  • Despesas de saúde: Devem incluir todas as despesas de saúde, sejam elas isentas de IVA ou com IVA a 6%. A despesas de saúde de produtos com IVA a 23% que estejam justificadas com receita médica também devem ser consideradas. Os cálculos usados para a apresentação das despesas de saúde é de 10% do valar com o máximo de 838,44€ para as despesas isentas e com IVA a 6% e 10% do valor com o máximo de 65€ para as despesas com IVA a 23%

  • Despesas com habitação: As despesas dos juros do crédito à habitação ou do valor do arrendamento também devem ser declaradas. Neste campo, são considerados 15% do valor apresentado, com um teto máximo de 296,00€ no caso de crédito à habitação e de 502,00 € no caso de arrendamento

  • Despesas de educação: Todas as despesas de educação, seja de estudantes ou de trabalhadores que optem por fazer uma formação profissional podem ser apresentadas nas deduções e benefícios de IRS 2014, sendo que serão consideradas 30% das despesas apresentadas, com um limite máximo de 760,00€ por pessoa. No caso de agregados familiares com 3 ou mais dependentes esse valor aumenta 142,50€ por cada um dos dependentes que tenham despesas (faturas) em seu nome

  • Despesas suportadas pelo proprietário com a recuperação de imóveis: Neste caso é considerado 30% do valor apresentado com um limite de 500€

  • Despesas de encargos com lares: Quem suporte despesas com lares respeitantes a familiares, deve usar o anexo das deduções e benefícios fiscais para apresentar os valores suportados. Do valor apresentado serão considerados 25%, com o máximo de 403,75€

  • Prémios de seguros de saúde: Este tipo de seguros também podem ser usados para aumentar os seus abatimentos de IRS. São considerados 10% do valor apresentado com um limite de 50€. Por cada dependente são acrescidos 25€ a esse limite.

  • Prémios de seguros de vida: Os seguros de vida estão muitas vezes associados a créditos, por isso se receber uma carta em casa com a indicação do valor pago no seguro de vida não a ignore. Deve apresentar esse valor no IRS e 15% do valor será considerado

  • Despesas com pensões pagas: As pensões de alimentos, tão frequentes em situações de casais divorciados com filhos, podem ser deduzidas, com um valor máximo de 419,22€ e 5030,64€ por beneficiário

  • Despesas com a constituição ou reforço de plano poupança reforma: Os valores que coloca de parte a pensar na sua reforma também são válidos para apresentar no IRS, sendo que terá direito a uma dedução de 20% do valor total apresentado, com um limite de 400€ (para pessoas com menos de 35 anos), de 350€ (para pessoas entre os 35 a os 50 anos) ou 300€ (para pessoas com mais de 50 anos)

  • Despesas relacionadas com o regime público de capitalização: Este regime é uma espécie de PPR do estado, que qualquer trabalhador pode fazer. 20% dos valores entregues ao abrigo deste regime são aceites para as deduções de IRS, com um limite de 350,00€

  • Donativos ao estado e a outras entidades em dinheiro: Todos os donativos em dinheiro que tiver feito ao longo do ano de 2013 são aceites, sendo que será deduzido 25% do valor doado. No caso de donativos ao estado não existe limite legal, no caso de donativos a outras entidades o limite é de 15% da sua coleta

  • Iva suportado: esta é a grande novidade no IRS 2014, havendo a possibilidade de deduzir 15% do Iva valor suportado em reparações de automóveis, restaurantes, hotéis e cabeleireiros, havendo um teto máximo de 250,00€

 

Agora que já sabe quais os rendimentos e despesas que deve declarar comece a organizar a papelada, pegue em todas as faturas e faça pequenos grupos de faturas, de acordo com o tipo de despesa. Depois, apenas precisa de somar os valores para saber qual a dedução que pode usar em cada um dos campos possíveis.

Use o simulador de IRS para 2014 do site PWC e insira os valores encontrados. Verá que calcular o IRS em 2014 é muito simples.

Quando chegar à data certa para proceder à entrega do seu IRS basta preencher o IRS em 2014 com todos os valores que já tinha apurado. Desta forma, garante que quando chegar a esta altura estará completamente preparado/a para preencher todos os dados e já saberá com aquilo que pode contar.

Não perca mais tempo a partir a cabeça para tentar compreender os cálculos do IRS 2014, use o simulador disponível na Internet e tenha acesso ao apuramento final do seu IRS em poucos minutos.

Veja A Nossa Sugestão

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-06-09T01:41:14+01:00 13/03/2014|Categories: Impostos|Tags: |

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt