Como renegociar dívidas com os bancos em Portugal

Renegociar dívidas não é tão complexo quanto parece. É sim, uma das soluções mais óbvias e viáveis para sair de um grande problema chamado incumprimento.

Neste artigo, pretendemos partilhar informação relevante sobre o processo de renegociação de dívidas em Portugal.

Apesar de alguns raios de esperança começarem a surgir, são ainda muitas as famílias portuguesas que se debatem com o drama do incumprimento.

O desemprego prolongado, o cada vez menor poder de compra, os impostos elevados, o endividamento excessivo, são fatores que contribuíram para colocar milhares de portugueses à beira do incumprimento.

Sugestões para renegociar dívidas com os bancos em Portugal de forma segura

Aproveite da melhor forma as nossas sugestões para renegociar dívidas e tente melhorar a situação, antes que o pior cenário se materialize.

1. Conheça a lei Portuguesa

Em 2013 foi aprovado o Decreto-Lei n.º 227/2012 de 25 de outubro que veio alterar as regras relativamente à renegociação de dívidas e cujo principal objetivo é proteger as famílias que se debatem com dificuldades para pagar os seus créditos.

Uma das medidas impostas pelo referido Decreto-Lei é a imposição de que os bancos implementassem um sistema que lhes permita identificar os clientes que estão quase a entrar em incumprimento e que lhes apresentassem um plano de renegociação de dívidas, sem ter que envolver a ida a tribunal.

2. Utilize as entidades de apoio

Para muitas pessoas, é complicado dar o primeiro passo em direção à resolução dos seus problemas, já que isso implica reconhecer que não tem capacidade para dar a volta à situação no curto prazo, mas essa é uma atitude essencial para evitar que o problema se agigante.

Assim que perceber que sente cada vez maiores dificuldades para proceder ao pagamento das suas prestações, deve encontrar em contato com o seu banco e pedir mais informações sobre o processo de renegociar dívidas.

Note que os bancos não podem cobrar comissões sobre renegociações de dívidas.

Deve também contatar a rede de apoio que foi criada exatamente para apoiar os clientes bancários que enfrentam dificuldades económicas e que não conseguem assegurar o pagamento das suas mensalidades de créditos.

3. Analise a proposta do banco

Após ter entrado em contato com o seu banco, este fará uma análise detalhada da sua situação financeira atual, por forma a apurar se está realmente em risco de entrar em incumprimento.

Como resultado da sua análise, o banco poderá apresentar uma proposta de renegociação da dívida, ou de consolidação de créditos.

Antes de aceitar a proposta apresentada, deve fazer uma simulação, por forma a determinar se a solução que o banco está a propor é suficientemente vantajosa.

4. Vantagens de renegociar dívidas

Ao optar pela renegociação de dívidas, está desde logo a encontrar uma solução para o seu problema, evitando entrar em incumprimento. Encontrar uma solução antes que o processo siga para os tribunais é extremamente importante.

Por norma, quando opta por renegociar dívidas, vai ver o prazo de pagamento do seu empréstimo ser alargado, o que significa que a prestação mensal diminui, mas que o valor total que irá pagar em juros será mais elevado.

Deve fazer as suas contas e ver se proposta que lhe apresentam é uma solução adequada às suas possibilidades.

Veja também:

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários. Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal. Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Email: geral@nvalores.pt

  1. Judson Alves Esteves on 30 Set 2019:

    Boa tarde! Tenho uma divida desde 2007 no valor de 21.000,00, Hoje esta divida ronda em torno de 14.000,00. Portanto fiquei desempregado e gostaria de negocia de alguma forma essa divida dentro das minhas possibilidades. Já fui ao Banco para tentar faze-lo. mas o que sempre falam é que essa divida já não se encontra lá. porém não me conseguem dar mais detalhes e onde eu possa ir negociar.

    Reply to Judson Alves Esteves

  2. Isabel pastor on 12 Fev 2017:

    Como faço para ter apoio para renegociar a minha divida? Gostaria de perceber pois sou reformada e tenho mais de 70 anos . Dizem que é possível , mascomo?

    Reply to Isabel pastor

  3. Patricia Silva on 02 Set 2016:

    Boa tarde,

    no artigo acima referem: “Deve também contatar a rede de apoio que foi criada exatamente para apoiar os clientes bancários que enfrentam dificuldades económicas e que não conseguem assegurar o pagamento das suas mensalidades de créditos.”

    Gostaria de saber quais são essas tais entidades que me possam prestar apoio?

    Reply to Patricia Silva

    • Paulo Martins on 09 Set 2016:

      Tenho uma divida com o barclaycard de 2.000 €..Com uma prestação de 70 € mensais.. apenas estou a amortizar por mês 6 € o que é ridiculo..deste cartão de crédito estou a pagar um seguro,cartão que já nem está activo.
      Com uma amortização de 6 € mensais vou pagar esta quantia a minha vida toda e o problema se complica porque estou numa situação de desemprego,e apenas a receber 420 € mensais do fundo de desemprego e com mais 180 € a pagar todos os meses ao banco do emprestimo da habitação. O que devo fazer??? Obrigado

      Reply to Paulo Martins