Protesto IMI

A Associação para a Defesa do Computador está a organizar o Protesto IMI 2014, com o objetivo de permitir que os portugueses levem a sua insatisfação ao Governo. De acordo com os cálculos da DECO, as Finanças estão a cobrar 244 milhões de euros de IMI em excesso.

Dado que os dados referentes ao valor de construção e à idade dos imóveis continuam a não ser atualizados de forma automática, milhares de portugueses continuam a ser vítimas de uma cobrança excessiva de IMI.

As diversas tentativas da DECO de sensibilizar o Governo para este tema não produziram resultados relevantes, pelo que a Associação para a Defesa do Consumidor resolveu organizar O Protesto IMI 2014.

O Que é o Protesto IMI 2014

Trata-se de uma manifestação online que tem como objetivo der visibilidade à insatisfação de milhares de portugueses perante a cobrança excessiva de IMI.

Quem adere ao Protesto IMI, pode subscrever o serviço de alerta da DECO, que informa os contribuintes relativamente à data certa para realizar a reclamação junto de um serviço de Finanças, evitando assim continuar a pagar IMI em excesso.

Milhares de portugueses já se juntaram a esta iniciativa, dando cada vez mais força ao protesto. Estando o protesto ainda numa fase inicial, espera-se que a adesão continue a crescer e que esta se torne numa das maiores manifestações online, jamais realizadas em Portugal.

Posteriormente, a DECO irá levar as assinaturas e as opiniões de todos os que participaram no Protesto IMI 2014 ao Governo e à Assembleia da República, numa nova tentativa de forçar a alteração da lei.

Não sendo possível prever qual será a reação do Governo a mais esta iniciativa, é bastante previsível que esta manifestação online contribua para voltar a colocar a cobrança excessiva de IMI na ordem do dia.

Se também se sente prejudicado com esta injustiça não hesite em aderir ao protesto. Esta é uma daquelas situações em que a união faz realmente a força.

Veja A Nossa Sugestão

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt

6 comentários em “Protesto IMI

Deixe um comentário

  1. Sou contra o IMI excessivo que estamos a pagar, do mesmo modo que sou contra obras de fachada, que deixam para trás obras de manutenção importantes, como por ex, o reforço anti-sismico de casas antigas.

    Responder
  2. Como convém, aqui vai o meu comentário.
    Se ao comprarmos uma casa compramos também o terreno, quer no seu todo, se se trata de uma vivena ou parcialmente se se trata de um condomínio, o que estamos a pagar no IMI?
    Parece-me que estamos a pagar algo que não deveríamos pagar, porque já pagámos tudo, ao fazer a aquisição do imóvel.
    Gostava que alguém pudesse explicar-me.
    Muito obrigado

    Responder
    • Concordo com o senhor José Barbosa, que é o meu caso, separada e com 2 filhos a meu cargo sozinha obrigado

  3. Olá boa tarde
    Quero juntar-me ao V. protesto contra o aumento do IMI e pagamento excessivo do mesmo.
    Como fazer?
    Também precisava de ajuda para a simulação.
    Obrigada.
    TP

    Responder