simulador pague menos imi deco

Simulador pague menos IMI da DECO

By | 2017-08-31T16:40:01+01:00 30/10/2014|Categories: Impostos|Tags: |

A Associação Para a Defesa do Consumidor (DECO) criou um simulador intitulado Pague Menos IMI. Este simulador de IMI faz o cálculo do valor que cada proprietário de uma habitação deve realmente pagar.

Recordamos que segundo os dados recolhidos pela própria DECO, milhares de portugueses estão atualmente a pagar um valor excessivo de Imposto Municipal sobre Imóveis.

Toda esta questão está relacionada com o facto de as Finanças apenas realizarem atualizações dos valores patrimoniais de três em três anos, o que faz com que os parâmetros da avaliação que determinam quanto é que cada família portuguesa tem que pagar de IMI possam não estar certos.

Os erros de cálculo por parte do Ministério das Finanças fazem com que muitos portugueses estejam a pagar o IMI como se possuíssem uma casa nova, quando tal não corresponde à realidade.

Segundo os dados recolhidos pela associação responsável pela iniciativa Pague Menos IMI, a cobrança excessiva está relacionada com a não atualização automática de dois dos parâmetros utilizados para calcular o IMI.

Os referidos parâmetros são o preço por metro quadrado e a idade do imóvel.

1. A reação do ministério das Finanças

Logo após a apresentação do simulador Pague Menos, o Ministério das Finanças reagiu, afirmando que procede à atualização dos valores patrimoniais dos imóveis de três em três anos.

As Finanças garantiram também que qualquer proprietário pode solicitar a revisão do Valor patrimonial tributário do seu imóvel, de forma gratuita e de acordo com a lei vigorante.

Finalmente, o Ministério das Finanças lembrou que disponibiliza há anos, o seu próprio Simulador de IMI, no Portal das Finanças.

Isto deu-nos a ideia de fazer um comparativo entre o Simulador de IMI disponibilizado no Portal das Finanças e entre o Simulador Pague Menos da responsabilidade da DECO.

Vamos ver se existem diferenças.

Simulador de IMI na DECO

2. Exemplo de simulação de IMI no simulador DECO

Para realizar esta simulação selecionámos os dados a inserir de forma aleatória.

Vamos seguir passo a passo a inserção da informação no Simulador de IMI da Deco. Para proceder a uma simulação correta, precisa de ter acesso à sua caderneta predial, que poderá encontrar no Portal das Finanças: https://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/main.jsp?body=/ca/patrimonio.jsp

No primeiro de três passos, terá que colocar o valor patrimonial da casa e o município onde se situa o imóvel. No nosso exemplo, inserimos como valor patrimonial da casa 95 mil euros (95 000) e como localização, o município de Faro.

No segundo ponto, devemos inserir a idade do imóvel. Para encontrar esse dado terá que consultar a caderneta predial, campo “ano de inscrição na matriz”. Para efeitos deste exemplo, colocámos 21 anos.

Terá também que colocar a data da última avaliação. Encontra este campo no campo “Tipo de coeficiente da localização… Entregue em xxxx/xx/xx. Colocámos 2010/05/20.

A última questão deste ponto é:

“As características do imóvel mudaram desde a última avaliação?” Respondemos que não.

O terceiro e último passo é o mais complexo, requerendo por isso mais atenção da sua parte. Vamos, campo por campo:

  1. Área do Imóvel em metros quadrados – Está representada na caderneta pela letra A. Neste exemplo colocámos 125,610
  2. Coeficiente de localização – Encontra estes valores debaixo da sigla Cl. Colocámos 1,60.
  3. Coeficiente de qualidade e conforto – Está representado com a sigla Cq. Usámos o valor 0,98
  4. Coeficiente de Vetustez – É o número de anos que passaram deste que foi emitida a emissão de utilização da habituação. É um dos parâmetros que as Finanças não atualizam de forma automática e que tem feito muitos portugueses pagarem mais IMI do que deveriam. Está representado pela sigla Cv. Aqui colocámos 0,80.
  5. Coeficiente de afetação – Depende do tipo de utilização do prédio. Encontra este valor na sigla Ca. Colocámos 1,0.

Para efeitos desta simulação realizada no Simulador Pague Menos IMI, não iríamos ter poupança e o IMI a pagar seria de 475€.

3. Exemplo de simulação de IMI no simulador Finanças

Por sua vez, o simulador das Finanças encontra-se no endereço http://www.e-financas.gov.pt/

Na primeira página deste Simulador de IMI inserimos os seguintes dados:

  • Tipo de Prédio – Prédio edificado
  • Coeficiente de localização – 1,60
  • Valor de construção fixado pela lei – 603 por metro quadrado
  • Idade do Prédio – 21 anos

E pronto… Obtivemos um resumo indicando que o tipo de prédio era um prédio edificado e que o coeficiente de vetustez seria de 0,8. Sendo que o valor patrimonial Tributário do prédio indicado era de 0 euros.

Não sabemos se algo correu mal na nossa simulação, mas pela experiência que acabámos de ter, não podemos considerar que o simulador de IMI das finanças tenha o mesmo relevo e a mesma eficácia que o simulador Pague Menos, apresentado agora pela DECO.

4. Porque fazer a simulação pague menos IMI

Apesar da simulação que realizámos não ter resultado em poupança concreta, é importante que todos os nossos leitores percebam a importância de utilizar um simulador como o Pague Menos IMI.

É claro que nem todas as pessoas vão descobrir que estão a pagar mais do que era suposto, mas até para quem descobre que está a pagar a quantia certa de IMI, este simulador é útil.

O simulador Pague Menos IMI também serve para tranquilizá-lo, demonstrando que está tudo certo com o seu IMI.

5. Resultados finais do estudo: Cobrados 244 milhões de IMI a mais

Cerca de 8 meses após iniciar a campanha Pague Menos IMI, a DECO apresentou de forma pública o balanço do estudo realizado. As conclusões das simulações feitas por milhares de pessoas demonstram que um grande número de portugueses está a pagar IMI a mais.

Tal como havia ficado explícito na apresentação do estudo, os portugueses estão a pagar IMI a mais devido à não atualização de forma automática da idade e do valor de construção dos imóveis.

O estudo Pague Menos IMI demonstra que as Finanças arrecadam 244 milhões de euros em excesso. Em termos percentuais, cada contribuinte está a pagar mais de 18,75% do que deveria.

Recorde-se que já em abril, no momento em que apresentou esta campanha, a Associação de Defesa do Consumidor havia solicitado uma audiência à ministra das Finanças, com o objetivo de apresentar esta questão e exigir a reposição da justiça na cobrança do Imposto Municipal Sobre Imóveis. Na altura, a campanha Pague Menos IMI não obteve qualquer resposta.

Fontes da Deco condenam a falta de abertura governamental em discutir a questão do pagamento de IMI a mais, mas a verdade é que esta situação se manterá inalterada, já que não foram realizadas quaisquer alterações no Orçamento de Estado para 2015.

O simulador Pague Menos IMI continua disponível, para que mais portugueses possam saber se estão a pagar o valor que era suposto, ou se estão efetivamente a pagar imposto a mais.

Por forma a auxiliar os consumidores que pretendem solicitar a atualização dos dados das suas habitações, a DECO implementou um serviço de alertas automáticos que avisa quem subscreveu o serviço relativamente às datas em que devem apresentar o pedido de atualização.

Para que os contribuintes possam poupar no pagamento deste imposto devem deslocar-se a um serviço de Finanças e solicitar a atualização dos dados até ao final do ano. Quem não o fizer até ao final do presente ano, apenas poderá deixar de pagar IMI a mais em 2016.

Mais informações podem ser facilmente obtidas na página da campanha Pague Menos IMI.

Veja A Nossa Sugestão

  1. Pagar o IMI: Quando e Como
  2. Pedir Isenção de IMI
  3. Dúvidas sobre o IMI
  4. Calcular o IMI a Pagar
  5. Pagamento do IMI em prestações
  6. Como reduzir o IMI
  7. Simulador de IMI para 2015

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-08-31T16:40:01+01:00 30/10/2014|Categories: Impostos|Tags: |

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt