Início / Artigos / Seguros / Vale a pena mudar de seguro de vida crédito habitação?

Vale a pena mudar de seguro de vida crédito habitação?

Vale a pena mudar de seguro de vida crédito habitação?

Sabia que pode mudar de seguro de vida crédito habitação? Ao solicitar um crédito habitação, os bancos exigem a contratação um seguro de vida, ou seja trata-se de um seguro de vida associado ao contrato de crédito.

É importante ressaltar que o seguro de vida habitação não é uma obrigação legal, porém é um fator condicionante para a concessão do empréstimo.

O que poucos sabem é que, a qualquer momento, podem transferir este seguro para outra empresa seguradora, e ainda conseguir poupar alguns euros.

No artigo de hoje, o NValores explica quando vale a pena transferir o seguro de vida crédito habitação.

Quando vale a pena transferir o seguro de vida crédito habitação

Conforme dito, o seguro vida habitação não é exigido por lei, mas quem vai contratar um crédito habitação certamente precisará de subscrever o produto.

Os bancos condicionam a concessão do crédito à contratação do seguro como uma forma de assegurar o pagamento do empréstimo.

Assim, se surgir uma situação de invalidez e de morte do devedor, a entidade terá como garantia a indemnização por meio do seguro.

Porém, é importante ressaltar que todos os clientes têm de ser informados, no ato da contratação do crédito, que a subscrição do seguro de vida não é uma obrigação por lei.

Além disso, os bancos devem informar a descrição das coberturas do seguro que estão a oferecer.

1 – Como subscrever um seguro de vida crédito habitação?

A contratação de um seguro de vida associado ao crédito habitação envolve algumas etapas.

Em primeiro lugar, os segurados têm de responder a um questionário médico que tem como objetivo atestar o seu estado de saúde.

Posteriormente, será feita uma análise das respostas a este questionário e, dependendo das respostas, o seguro pode ser aprovado ou recusado.

Em caso de aprovação, será definido o valor do prémio do seguro a aplicar.

Em alguns casos poderá mesmo ser necessário realizar uma consulta médica para que o seguro possa ser aceite.

2 – Onde contratar o seguro de vida?

Sobre a contratação do seguro de vida, é importante destacar que, apesar de os bancos exigirem a subscrição do produto, os clientes têm a liberdade de escolha.

Ou seja, podem optar por outra seguradora que não a indicada pela própria instituição financeira.

Tendo isso em mente, é interessante fazer outras cotações com seguradoras diferentes de modo a encontrar a melhor proposta.

Apesar de o banco oferecer bonificações nas taxas dos créditos para clientes que subscrevam os seus seguros, é importante antes pesquisar.

Em alguns casos, vale mais a pena optar por uma seguradora independente.

3 – Como funcionam estes seguros?

A cobertura do seguro de vida crédito habitação é voltada para os titulares do empréstimo, com o objetivo de proteger tanto os mesmos como a instituição financeira.

Isto porque o principal objetivo do seguro é garantir o pagamento do montante em dívida em caso de morte ou invalidez.

Quanto à sua contratação, este tipo de seguro pode ser adquirido de forma total ou parcial em relação a casais que adquiram o crédito habitação.

Ou seja, a cobertura pode ser de 50% ou 100% para cada um.

No caso de o casal escolher pela cobertura a 100%, na ocorrência de morte ou invalidez de um dos membros, o montante em dívida é pago pela seguradora à entidade financeira na totalidade.

Por outro lado, se o seguro apenas incluir cobertura a 50% para cada um dos titulares, em caso de morte ou invalidez, a dívida só é paga a 50%, tendo o outro titular de pagar a parte restante do empréstimo.

Compreender tudo o que envolve uma apólice de seguro de vida não é uma tarefa fácil.

Por isso, é importante contar com o apoio de um mediador de seguros profissional, que poderá orientá-lo da melhor forma quanto ao funcionamento desta proteção.

4 – Quando vale a pena mudar de seguradora?

O Decreto-lei nº 222/2009 no seu artigo 4º, possibilita a transferência do seguro de vida do crédito habitação para outra seguradora durante a vigência do contrato.

Se contratou o seguro de vida habitação no próprio banco que lhe concedeu o crédito, ou em outra seguradora independente, o facto é que em ambos os casos o valor do prémio aumenta à medida que envelhece.

Este aumento é esperado, uma vez que com o avançar da idade o risco de fatalidades é maior.

Considerando que o crédito habitação é uma obrigação a longo prazo, durante a vigência do contrato, o seguro pode sofrer aumentos que podem ir até ao triplo do que pagava no início das prestações.

Se este é o seu caso fique atento, pois o seguro por si só pode comprometer boa parte do seu orçamento.

Neste caso, o melhor é pesquisar por condições mais vantajosas, avaliar as suas coberturas e considerar a transferência do seguro.

5 – Como transferir o seguro de vida crédito habitação?

Para transferir o seguro de vida habitação, terá que cancelar a antiga apólice para então formalizar o contrato com outra seguradora.

Lembre-se que não se trata de um cancelamento definitivo, uma vez que não poderá ficar sem essa proteção. Isto porque é condição do banco para que tenha acesso ao crédito habitação, e o seguro deve perdurar durante o mesmo período do contrato.

Nestes casos, o pedido de cancelamento deverá ser enviado ao banco, através de carta registada e com prova de entrega ao Segurador.

Geralmente, é exigido um pré-aviso de 30 dias, mas certifique-se de que este é o prazo praticado na sua seguradora, consultando as Condições Gerais da apólice.

Outro detalhe importante é fazer o cancelamento da autorização de débito direto do seguro que encerrou, para que não haja pagamento indevido.

O procedimento de transferência pode ser feito as vezes que quiser.

É muito importante fazer uma ressalva. Se o seu contrato de crédito habitação possui bonificação do spread, então é preciso analisar com cuidado a mudança do seguro.

Isto porque entre as condições da bonificação está a manutenção do seguro associado ao banco.

Há contratos em que existe uma penalização do spread, se optar pela transferência do Seguro de Vida para fora do Banco.

Portanto, faça as contas. Se perceber que o que vai pagar a mais por mês na prestação do empréstimo for inferior ao que poupa mensalmente com o que seguro, então vale a pena fazer a transferência.

Considere todas estas informações e tome a melhor decisão quanto a mudar de seguro de vida credito habitação.

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt