Covid-19 – Todos os bancos com moratória no crédito

Além da crise sanitária que estamos a atravessar, estamos também a iniciar uma crise económica que pode trazer graves prejuízos ao estado, empresas e famílias.

Por isso, alguns bancos decidiram implementar medidas para ajudar empresas e contribuintes a travessar esta fase que pode ser menos boa.

Uma dessas medidas passa por conceder moratórias no crédito pessoal e à habitação às famílias portuguesas.

Se a legislação que está a ser preparada pelo Governo, Associação Portuguesa de Bancos (APB) e Banco de Portugal não sofrer alterações, o congelamento das prestações dos créditos a particulares e empresas poderá estender-se até ao fim deste ano.

É importante frisar que a Federação Europeia de Bancos, que representa 3.500 instituições bancárias europeias, foi a principal entidade a apelar à criação de uma ferramenta de moratória para empresas em risco de liquidez por causa do novo coronavírus.

A crise provocada pelo novo coronavírus traz com ela muitos sacrifícios para as famílias e empresas. E, isso vai fazer com que inevitavelmente cada empresa e cada família tenha de rever o seu orçamento.

Com o objetivo de diminuir o impacto dessa crise, os bancos estão a procurar promover a utilização dos canais digitais. A par da oferta de isenções, estão também a limitar a pressão relacionada com os seus créditos atuais e a dar, no caso das empresas, linhas de crédito para fazerem face aos efeitos do COVID-19.

Quais são os bancos que aderiram à moratória de crédito?

Os bancos também estão a disponibilizar-se para flexibilizar os créditos e os respetivos critérios de cumprimento, concedendo moratórias de crédito aos seus clientes particulares e empresas.

O que é uma moratória? Uma moratória é um adiamento de um prazo, geralmente em relação ao vencimento de uma dívida. Portanto trata-se de uma espera ou prorrogação do crédito concedida pelo credor ao devedor.

Tendo em conta o estado atual da economia portuguesa, muitos bancos estão a optar por adiar a amortização do capital associado aos créditos que estão em vigor. Assim, as famílias podem pagar somente os juros associados ao financiamento contratualizado.

Deste modo, torna-se possível as famílias minimizarem o impacto da crise nos seus orçamentos familiares.

É, no entanto, de extrema importância ter em conta que se trata de uma medida temporária e o valor das prestações terá de ser posteriormente liquidado, não se sabendo ainda quais as condições definidas.

Os maiores bancos portugueses, também estão a disponibilizar aos clientes empresariais acesso a linhas de financiamento específicas para combater os efeitos do COVID-19 sobre a sua atividade e a disponibilizar acesso à linha Capitalizar Covid-19 anunciada pelo Governo.

Conheça abaixo o que os principais bancos estão a disponibilizar às famílias e empresas.

1 – Caixa Geral de Depósitos

O banco está a disponibilizar moratórias de crédito que permitam aliviar os encargos familiares e empresariais devido ao Covid-19.

No que diz respeito aos clientes com crédito à habitação ou pessoal, a Caixa Geral de Depósitos avaliará a eventual carência de capital até 6 meses, mediante pedido dos clientes.

No que respeita as empresas, alguns dos pontos a serem considerados são:

  • Reajustamento dos pagamentos mensais dos créditos por um prazo de 6 meses
  • Prolongamento do pagamento de leasing por períodos adicionais de 12 meses
  • Ajuste das prestações nos próximos meses
  • Manter a disponibilidade de financiamento e renovação de prazos dos financiamentos aprovados

Contudo, embora estas sejam as medidas atuais, a CGD indica que em caso de necessidade vão ser criados mais mecanismos para fazer face a esta pandemia.

Salientamos ainda que os pensionistas que aufiram até 1,5 vezes o salário mínimo nacional e os jovens até aos 26 anos estão isentos de comissões bancárias.

2 – Santander

“As cerca de 250 mil famílias portuguesas que têm o seu crédito à habitação junto do Banco Santander terão à sua disposição nos canais digitais do banco a possibilidade de solicitarem de uma forma simples e prática a renegociação do seu crédito com a carência imediata de amortização de capital durante 6 meses para as operações de crédito que se encontrem em situação regular”, refere o banco num comunicado enviado esta segunda-feira.

Ou seja, poderá fazer o seu pedido diretamente num canal digital do banco.

É também importante frisar que os clientes particulares estão isentos da comissão de alteração das características do crédito.

E, além disso, o Santander vai também suspender a perda de bonificação do spread no caso dos clientes que entrem em incumprimento das condições de cross selling relativas ao contrato de crédito habitação.

Já para as empresas algumas das condições previstas são:

  • Créditos com características específicas para PME’s que se encontre em situação regular
  • Não haverá cobrança de comissões nem alteração de spread no caso de renegociações contratuais
  • Vão ser mantidos os limites de crédito contratualizado

Tal como outros bancos, pode haver alterações as estas condições mediante o desenvolvimento do mercado económico mundial.

3 – BPI

O BPI vai disponibilizar uma moratória de crédito a empresas e famílias, com carência de capital em operações de crédito. Além disso vai suprimir a comissão aplicada aos comerciantes no pagamento automático.

Para as empresas e particulares, o BPI está disponível para aceitar moratórias de crédito que permitam mitigar os impactos na economia das famílias e na atividade das empresas, de todos os setores de atividade”, indica o BPI em comunicado.

É importante frisar que estas medidas estão isentas de comissões e a adesão é 100% realizada online, tendo já o banco reforçado os canais digitais.

Além disso, o BPI implementou também Isenções de comissões e mensalidades em TPA para comerciantes e desenvolveu o cartão BPI Depósitos que permite o depósito de dinheiro em qualquer zona automática.

Relativamente às famílias, está igualmente disponível para conceder uma moratória de crédito aos clientes particulares. Contudo, a mesma está “condicionada às orientações” das autoridades, e abrange empréstimos à habitação e o crédito pessoal, incluindo o financiamento automóvel.

É importante frisar que esta moratória estará disponível a pedido dos clientes. A mesma vai consistir numa carência de capital, acompanhada de uma prorrogação até 6 meses do prazo do financiamento.

Contudo, a mesma só será válida para clientes que tenham os seus créditos regularizados.

4 – Montepio

O Montepio também tem à disposição dos clientes particulares e empresariais algumas medidas que têm como objetivo ajudar as famílias portuguesas.

Não existe ainda nenhuma moratória de crédito, no entanto, as medidas adotadas para clientes particulares são:

  • Possibilidade de duplicação do plafond da conta ordenado (sem comissões e com taxa fixa de 5%)
  • Carência de capital até 6 meses (a pedido do cliente)
  • Alargamento dos prazos de amortização até 18 meses
  • Isenção de comissão de amortização antecipada dos créditos

Em termos empresariais o Montepio tem como principais medidas de apoio:

  • Linha de crédito específica para empresas afetadas pelo Covid-19
  • Garantia mútua de crédito de 80%

Todas as empresas que necessitem deste apoio devem contactar os seus gestores de conta de forma a perceberem se se trata ou não de uma opção viável.

5 – Crédito Agrícola

O Crédito Agrícola tem também à disposição dos seus clientes particulares e empresariais a moratória de crédito.

A mesma é elegível para todos os clientes que se encontrem até à data de hoje em situação regular. A mesma abrange operações de crédito habitação e consumo para clientes particulares, e créditos para investimento e tesouraria para clientes empresariais.

O mesmo tem “o objetivo de ajudar a mitigar os efeitos económicos e sociais que o surto do COVID-19 está a provocar na sociedade portuguesa” de acordo com um comunicado enviado pelo banco.

Embora esta seja a medida atual, a verdade é que o banco refere ainda que vai ajustar “estas condições às orientações ou decisões que vierem a ser tomadas pelas autoridades legislativas ou regulatórias, europeias ou nacionais”.

Estas são as medidas dos bancos que já foram confirmadas até agora. Contudo, sempre que se justificar iremos adicionar informação relevante a este artigo.

Veja também: Linhas de crédito Covid-19 de apoio às empresas

Sobre o autor: Ricardo Rodrigues

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários. Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal. Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Email: geral@nvalores.pt