Mercado de trabalho em portugal

Mercado de Trabalho em Portugal

By | 2017-05-19T01:32:46+01:00 03/09/2015|Categories: Emprego|

Agora que Portugal parece estar gradualmente a sair da crise, espera-se que o governo aposte numa política económica vocacionada para a criação de emprego. O mercado de trabalho português continua a ser um dos principais motivos de preocupação para a sociedade nacional.

O mercado de trabalho é a relação entre as entidades empregadoras e os trabalhadores. Dessa forma, quando nos referimos ao mercado de trabalho português estamos a focar-nos na interação entre as empresas e os trabalhadores, levando em consideração aspetos como a situação económica do país, o nível de desemprego, a capacidade de recrutamento, etc.

1. Situação do mercado de trabalho português durante a crise

De acordo com a OCDE, o mercado de trabalho português foi fortemente afetado durante os anos de crise. O número de empregos disponíveis desceu de forma considerável, o que teve impacto em toda a sociedade.

Contrariamente ao que se pode pensar, o mercado laboral nacional começou a dar sinais preocupantes muito antes do auge da crise, já que o desempenho do mercado de trabalho começou a baixar ainda em 2000.

O desemprego de longa duração também aumentou consideravelmente, existindo hoje milhares de portugueses que não conseguem encontrar um emprego há anos.

2. A ligeira melhoria dos últimos anos

Apesar de ser inegável que a taxa de desemprego continua elevada e que Portugal continua a ter um problema grave ao nível do desemprego jovem, o mercado de trabalho nacional melhorou ligeiramente, principalmente no último ano.

Os esforços desenvolvidos pelo governo para melhorar a situação ao nível do emprego têm sido alvo de elogios a nível europeu. A comissária europeia que detém a pasta do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade Laboral, Marianne Thyssen, afirmou em junho de 2015 que:

“o governo português fez um grande esforço no sentido de criar um mercado laboral ativo”.

Marianne Thyssen considera que as instituições europeias devem procurar “criar postos de trabalho, baixar o desemprego e dar oportunidades aos jovens”, ideia que vem reforçar a necessidade de implementar uma política europeia destinada a promover o emprego entre a população mais jovem, algo fundamental para terminar o clima de instabilidade financeira que ainda ensombra a União Europeia.

Mas ainda que existam alguns sinais de melhoria, a OCDE continua a sugerir que o governo português aposte numa maior flexibilização do mercado de trabalho, reduzindo as barreiras regulamentares e reorientando a carga fiscal do trabalho para impostos que favoreçam o crescimento, nomeadamente para impostos sobre a propriedade e o ambiente.

3. O que se alterou no mercado de trabalho

Segundo os indicadores do Instituto Nacional de Estatística (INE), a grande mudança que ocorreu no mercado de trabalho português nos últimos meses foi a menor tendência para o despedimento, revelada pelas empresas nacionais.

Este indicador será o grande responsável pela diminuição da taxa de desemprego e pode ser um sinal de maior confiança por parte das empresas.

Contudo, em cada trimestre cerca de 100 mil portugueses perdem o seu emprego, um número ainda extremamente elevado, quando comparado com o valor registado nas últimas duas décadas.

Apesar de se encontrar em fase de recuperação, é evidente que o mercado de trabalho português precisará de mais tempo e de mais medidas para voltar a números do passado.

Veja A Nossa Sugestão

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-05-19T01:32:46+01:00 03/09/2015|Categories: Emprego|

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

Leave A Comment