Índice de desenvolvimento humano

Índice de Desenvolvimento Humano

By | 2017-05-19T01:32:59+00:00 06/08/2014|Categories: Emprego|

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida utilizada para comparar os países segundo o seu grau de desenvolvimento humano.

O IDH classifica os países em três escalões:

  • Desenvolvidos – São países que apresentam um desenvolvimento humano muito elevado;
  • Em Desenvolvimento – São países com um desenvolvimento humano entre o médio e o elevado;
  • Subdesenvolvidos – São países que apresentam um desenvolvimento humano baixo.

Para determinar o Índice de Desenvolvimento Humano são usados diversos indicadores como a expectativa de vida ao nascer, PIB per capita e educação, referentes a cada país.

O IDH classifica anualmente todos os países que são membros da ONU, utilizando estes indicadores. Organizações locais e empresas também utilizam o IDH para quantificar o desenvolvimento de regiões, cidades ou de outras localidades.

O Índice de Desenvolvimento Humano foi criado por um economista paquistanês e por um economista indiano, respetivamente Mahbub ul Haq e Amartya Sen, em 1990, com o objetivo de ser utilizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no âmbito dos seus relatórios anuais.

O Principal Objetivo do Índice de Desenvolvimento Humano

Segundo Mahbub ul Haq, o principal mentor do IDH, a criação deste índice teve como principal objetivo retirar o ênfase do desenvolvimento económico e centrar atenções nas políticas orientadas para as pessoas.

Esta ideia foi depois desenvolvida por Amartya Sen, que criou o quadro subjacente ao IDH.

Simplificando, o Índice de Desenvolvimento Humano foi criado com o intuito de alertar os políticos, os economistas, os estudiosos e a opinião pública relativamente à necessidade de centrar os seus esforços na melhoria das condições de vida da população.

Os Atuais Critérios de Avaliação

Este índice tem sofrido diversas alterações ao longo dos anos. A última alteração decorreu em 2010, data a partir do qual o IDH passou a focar-se em três parâmetros:

  • Expetativa de Vida ao Nascer;
  • Duração dos Estudos e Anos Expectáveis de Escolaridade;
  • Um padrão de vida aceitável: PIB per capita.

A Realidade Portuguesa

Em 2014, Portugal manteve o 41º lugar (entre 187 países) no Índice de Desenvolvimento Humano, classificação que já havia alcançado no ano anterior. Desde 2008, o país registou uma subida de três lugares.

Contudo, no seu relatório a Organização das Nações Unidas (ONU) revela preocupação relativamente à realidade atual de Portugal. A ONU teme que cortes acentuados que o Governo português tem aplicado em setores como a saúde e educação possam resultar num retrocesso no processo evolutivo do país.

Portugal continua a inserir-se entre os países que contam com um nível de desenvolvimento “muito elevado”. Abaixo deste ranking existem ainda os níveis “elevado”, “médio” e “baixo”.

Os resultados obtidos por Portugal no Índice de Desenvolvimento Humano devem-se sobretudo à elevada esperança média de vida (atualmente nos 79,9 anos), à diminuição da mortalidade infantil, às taxas de literacia e ao programa de vacinação.

Pela negativa, destacam-se fatores como a elevada taxa de desemprego, os problemas laborais e o desinvestimento público em áreas com a educação e a saúde.

Extremos do IDH

A lista do IDH é liderada pela Noruega, seguindo-se a Austrália, Suíça, Holanda e Estados Unidos. No top 10 encontramos um total de 5 países europeus, surgindo além dos países já citados, a Alemanha em 6º e a Dinamarca em 10º.

No extremo oposto da lista do IDH encontram-se sobretudo países africanos, um o Níger a ocupar a última posição, acompanhado de perto por países como o Congo, República Centro-Africana, Chade e Serra Leoa.

Os países lusófonos surgem espalhados um pouco por toda a lista: Brasil em 79º (Nível de Desenvolvimento Elevado); Cabo Verde em 123º, Timor Leste em 128º e São Tomé e Príncipe em 144º (Nível de Desenvolvimento Médio), Angola em 149º, Guiné Bissau em 177º e Moçambique em 178º (Nível de Desenvolvimento Baixo).

 Índice de Desenvolvimento Humano de 2013 publicado em 2014

IDH – Dados de 2013 publicado em 2014

  acima de 0,900
  0,850–0,899
  0,800–0,849
  0,750–0,799
  0,700–0,749
  0,650–0,699
  0,600–0,649
  0,550–0,599
  0,500–0,549
  0,450–0,499
  0,400–0,449
  0,350–0,399
  0,300–0,349
  abaixo de 0,300
  Sem dados

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-05-19T01:32:59+00:00 06/08/2014|Categories: Emprego|

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

Leave A Comment