Emigrar para Angola: o que fazer antes de partir

Nos últimos anos, os portugueses viram-se obrigados a recuperar a sua veia emigradora e muitos escolheram Angola como destino. Se pensa emigrar para Angola, é importante que saiba o que deve fazer antes de partir.

Historicamente, Portugal sempre foi um país de emigrantes. Ao longo das décadas, esta tendência acentuou-se em algumas fases. A crise e a dificuldade em encontrar emprego, levaram muitos portugueses a sair do país nos últimos anos.

Sempre preparados para procurar oportunidades em novos destinos, muitos portugueses decidiram recentemente emigrar para Angola.

Sendo em país em crescimento económico, de língua portuguesa e com carências de pessoal qualificado em diversas áreas, consegue-se facilmente perceber porque é que Angola representa para muitos portugueses o novo “El Dorado”.

Se também está a equacionar emigrar para Angola, mas se tem dúvidas relativamente a esta decisão, deve primeiro avaliar todas as vantagens e todos os obstáculos que irá encontrar na sua nova aventura.

Para ajudá-lo a tomar uma decisão mais informada, reunimos algumas dicas úteis para que está a ponderar mudar-se para território angolano.

Dicas Para Emigrar Para Angola

  1. Encontrar emprego. É claro que não deve emigrar para Angola sem emprego certo. Assim, antes de embarcar no avião deve começar a procurar um emprego, mas como irá perceber esta tarefa não é tão fácil quanto parece. É verdade que basta consultar um dos sites especializados em emprego, ou folhear um jornal, para encontrar diversas ofertas de emprego para Angola, mas na sua maioria são ofertas muito específicas.

Alguns sites úteis para procurar emprego em angola são:

Atualmente, as principais ofertas de emprego para Angola centram-se nas seguintes áreas: engenharia civil, medicina e enfermagem, topografia e educação. É ainda possível encontrar emprego noutras áreas, principal ao nível do turismo.

Antes de pensar em aceitar qualquer proposta, deve também perceber que o mercado laboral angolano rege-se por regras diferentes. Por exemplo, o horário semanal de trabalho é de 44 horas, já que geralmente também se trabalho ao sábado de manhã.

  1. Tratar do visto. Para emigrar para Angola precisa de tratar do visto. Este é um processo que deve ser tratado de forma atempada, já que o visto é essencial para poder em Angola.

Primeiro, irá obter um Visto Ordinário. Este tipo de visto possui uma validade de 30 dias e pode ser renovado duas vezes. Após os três iniciais, será obrigado a solicitar o Visto de Trabalho.

Ambos os vistos podem ser solicitados no Consulado de Angola. Para evitar dissabores e experiências negativas, é fundamental que trate sempre dos vistos dentro dos prazos estabelecidos pela lei angolana.

As autoridades angolanas têm sido particularmente rigorosas a respeito desta documentação e muitos portugueses já foram penalizados por não terem a sua documentação em dia.

  1. Vacinação. Antes de emigrar para Angola deve fazer a vacina contra a febre-amarela. Esta vacina é a única obrigatória, contudo é importante que faça também vacinação contra o tétano, hepatite A e hepatite B.

Antes de viajar marque uma consulta de saúde do viajante, onde poderá receber conselhos sobre doenças infeciosas por parte de especialistas em medicina tropical. Os centros de vacinação internacionais estão espalhados um pouco por todo o país.

  1. Encontrar alojamento. Um dos problemas que irá encontrar em Angola é o preço do alojamento. Caso o seu contrato de trabalho não inclua o alojamento, deve estar preparado para suportar renda extremamente elevadas. É normal que a renda de um pequeno apartamento ultrapasse os 1000€.

Case opte por um condomínio, então o preço será ainda mais elevado. Os bons condomínios além de segurança, apresentam comodidades como ginásio, o que pode ser vantajoso para quem valoriza estes serviços.

Caso tenha que procurar uma casa pelos seus próprios meios, pode utilizador um dos seguintes websites:

  1. Conhecer os serviços de saúde. Os serviços de saúde públicos angolanos são ainda bastante deficitários, quando comparados com a realidade portuguesa. Para poder contar com cuidados de saúde de melhor qualidade precisará de recorrer ao setor privado, onde os custos são altos.

Se precisa de acompanhamento médico regular, deve precaver todas as eventualidades antes de viajar. Lembre-se que irá partir para uma realidade completamente diferente daquela que conhece.

  1. Estar preparado para um custo de vida alto. Luanda foi eleita mais uma vez com a cidade mais cara do mundo. Apenas esta informação permite antecipar o nível do custo de vida que irá encontrar em Angola.

Além do alojamento e dos cuidados de saúde dispendiosos, também a alimentação tem um custo elevadíssimo. E quando nos referimos a alimentação incluímos quer as compras no supermercado, quer as idas a restaurantes.

Outras eventuais custos que possa ter de forma regular, como a inscrição num ginásio ou algumas saídas noturnas, também irão representar um grande peso sobre a sua carteira.

  1. A segurança. Emigrar para Angola ainda é algo assustador para algumas pessoas devido às notícias sobre a insegurança. Na realidade, a melhor forma de garantir a sua segurança em Angola é informar-se e adaptar a sua rotina à realidade do país.

Em qualquer país existem problemas ao nível da segurança e Angola não é exceção. Cabe a cada pessoa zela pela sua própria segurança.

Se seguir todas estas dicas, a decisão de emigrar para Angola acarretará menos riscos. Desde que viaje com toda a preparação e na posse de toda a informação necessária, a aventura em terras angolanas em tudo para correr bem.

Veja A Nossa Sugestão

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt