Respostas às dúvidas mais frequentes no IRS 2018

Mudanças no IRS 2019

A entrega da declaração anual de IRS começou há poucos dias e com a mesma começam as dúvidas e dificuldades dos portugueses.

São poucos os impostos que conseguem tão facilmente ser uma dor de cabeça como é o Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares (vulgo IRS).

A maior parte dos contribuintes têm dúvidas, já que existem alterações quase anuais no preenchimento e entrega desta declaração, e porque de ano para ano os fatores de preenchimento podem mudar de forma drástica.

As alterações pessoais ou mesmo profissionais podem ter um grande impacto na vida dos contribuintes e consequentemente ao nível do preenchimento desta declaração.

Por exemplo, se se casou o ano passado, recebeu uma herança ou começou a trabalhar por conta própria, isso significa inúmeras alterações no preenchimento e entrega do IRS.

Quais são as dúvidas mais frequentes no IRS 2018?

Sabemos que não é impossível esclarecer todas as dúvidas dos nossos leitores relativamente a esta temática, até porque cada caso é um caso. No entanto, reunimos uma lista das questões mais frequentes sobre este tema, e iremos dar-lhe as respetivas respostas.

Além de encontrar a respostas para as perguntas mais comuns, encontra também a resposta a questões mais abrangentes que podem ajudá-lo a preencher a declaração de IRS em 2018 de forma mais simples e sem grandes percalços.

1 – O que é o IRS?

O IRS ou Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares é um imposto pessoal, direto e progressivo, de caracter anual e que deve ser preenchido por todos os contribuintes que não se encontrem isentos da sua entrega.

É importante ter em conta que quanto mais altos forem os rendimentos auferidos, maior será a taxa de imposto aplicada.

2 – Quais são as datas para a entrega do IRS em 2018?

Tal como já havia acontecido em 2017, em 2018 a entrega da declaração de IRS é realizada entre dia 01 de abril e dia 31 de maio, independentemente de ser um trabalhador por conta de outrem, reformado ou trabalhador a recibos verdes.

Saiba mais: Prazos de entrega do IRS 2018

3 – É vantajoso entregar o IRS em separado?

Pois bem, desde 2015 que os contribuintes casados ou unidos de fato podem optar pela entrega da declaração anual de IRS em conjunto ou em separado.

Desta forma, cada membro do casal deixa de ter de suportar os valores a pagamento do outro membro. Contudo, podem haver casos em que é mais vantajoso a realização da entrega da declaração em conjunto outros em que não existe nenhuma vantagem nisso.

Desta forma, cada caso é um caso, e o nosso conselho é que faça diversas simulações de forma a perceber o que é que é efetivamente mais vantajoso, ou seja, perceba como é que paga menos ou recebe mais.

4 – Se entregar as declarações separadamente vou pagar menos imposto?

Não lhe podemos dar uma resposta que seja unanime a todos os casais, pois vai depender de diversos pontos, nomeadamente os valores que são auferidos por cada um, assim como as deduções à coleta que foram realizadas.

Contudo, no caso de casais com rendimentos muito dispares pode ser uma opção válida de forma a minimizar ao máximo os valores que vão ser pagos.

Quando os rendimentos são muito similares, é quase indiferente optar pela tributação separada dos rendimentos.

Veja também: Faço o IRS em conjunto ou em separado

5 – Até que idade os filhos podem ser considerados como dependentes?

De acordo com a reforma do IRS, são considerados dependentes todos os filhos menores e ainda os que tenham menos de 26 anos, desde que não aufiram rendimentos superiores ao salário mínimo mensal (o qual sobe para 580 euros, em 2018).

6 – Ainda existe o quociente familiar em 2018?

O quociente familiar foi revogado em 2016, regressando-se à aplicação do quociente conjugal, ou seja, o rendimento do agregado familiar voltou a ser dividido apenas pelos dois membros do casal.

Em contrapartida, foi aumentada a dedução à coleta fixa atribuída por referência a cada dependente, de 325€ para 600€.

Além disso, por cada ascendente que viva efetivamente em comunhão de habitação com o sujeito passivo, o valor aumenta de 300€ para 525€, desde que aquele não aufira rendimento superior à pensão mínima do regime geral.

7 – Quem trabalha fora de Portugal tem de entregar a declaração de IRS?

Quem tiver vivido em Portugal pelo menos 183 dias (sejam eles seguidos ou interpolados) ou mesmo que não tenham estado em Portugal mas tenham habitação com finalidade de residência habitual a 31 de dezembro de 2017 são considerados residentes em Portugal e por esse mesmo motivo são obrigados a apresentar o valor dos rendimentos obtidos no estrangeiro, incluindo a informação sobre o imposto já pago nesse país.

Tenha em mente que se esse for o seu caso, deve nomear um representante para apresentar a sua declaração sobre os rendimentos obtidos no país onde se encontra.

8 – Sou obrigado a declarar todos os rendimentos obtidos?

Contrariamente ao que possa pensar, nem todos os rendimentos obtidos são sujeitos a declaração no IRS em 2018.

Os rendimentos que sofrem previamente retenção na fonte a uma taxa liberatória não necessitam ser novamente incluídos na declaração de IRS (estamos a falar de juros resultantes de depósitos a prazo ou certificados do tesouro ou de aforro).

Nestes casos o retorno já é efetuado depois de ser deduzido o imposto específico.

9 – O que é o anexo SS?

Pois bem, o anexo SS diz respeito aos descontos realizados para a Segurança Social e apenas tem de ser entregue pelos trabalhadores independentes.

O seu principal intuito é comunicar à Segurança Social quais os valores que foram auferidos no ano transato.

Contudo, é importante ressalvar que os trabalhadores independentes que não ultrapassaram o rendimento 6 vezes superior ao IAS (que atualmente se encontra nos 428,9€), que estejam em regime de isenção ou que cumpram determinados requisitos, encontram-se isentos da sua entrega.

10 – Como é que é realizado o IRS de uma pessoa que faleceu?

No caso em que um dos cônjuges faleceu no ano a que respeita a declaração de IRS, os rendimentos vão ser declarados de forma englobada com os rendimentos do cônjuge que ainda se encontra vivo.

Contudo, tenha ainda em conta que o cálculo do imposto é realizado com as mesmas regras que se aplicam aos contribuintes casados ou em união de fato.

No caso de não existir nenhum cônjuge vivo e no caso de haver uma herança indivisa, vão ser os herdeiros a englobar os rendimentos nas suas declarações de acordo com a sua quota-parte da herança.

11 – Posso submeter o IRS de forma automática?

Pois bem, desde 2017 que muitas famílias viram a entrega da declaração de IRS um pouco mais facilitada com a possibilidade de entregarem o mesmo de forma automática.

Contudo, para poder aproveitar esta questão, deve cumprir alguns requisitos, nomeadamente:

  • Não tenham direito a deduções por ascendentes;
  • Não usufruam de benefícios fiscais;
  • Sejam residentes em Portugal durante todo o ano;
  • Não detenham o estatuto de residente não habitual;
  • Obtenham rendimentos apenas em Portugal;
  • Não tenham pago pensões de alimentos;
  • Não tenham acréscimos ao rendimento por incumprimento de condições relativas a benefícios fiscais;
  • Não tenham direito a deduções por deficiência fiscalmente relevante nem por dupla tributação.

Ou seja, resumidamente, os pensionistas e trabalhadores dependentes que apenas tenham a seu cargo (ou não) descendentes e apenas tenham auferido rendimentos de pensão ou de trabalho dependente podem entregar o IRS de forma automática.

É importante frisar que o mesmo tem de ser validado até dia 31 de maio, pois caso contrário a declaração é automaticamente validada.

12 – Quem está dispensado da entrega da declaração de IRS?

Pois bem, alguns (milhares) de contribuintes encontram-se atualmente isentos de entregar a declaração este ano.

Desta forma, quem cumpra os requisitos seguintes não tem de preencher a declaração de IRS em 2018:

  • Contribuintes que não tenham recebido qualquer rendimento no ano transato;
  • Quem tenha recebido rendimentos tributados pelas taxas liberatórias e não optem (quando possível) pelo englobamento;
  • Quem auferiu rendimentos anuais de trabalho dependente ou pensões (não sujeitos a retenção na fonte) inferiores a 8.847,72€ e não tenha recebido pensões de alimentos de valor superior a 4.104€;
  • Apenas auferiram subsídios ou subvenções no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC) de valor anual inferior a 1.676,88€, ou rendimentos pela realização de atos isolados de valor anual inferior a 1.676,88€.

13 – Este ano ainda posso entregar o IRS em papel?

Não, a partir de 2018 a entrega da declaração anual de IRS é realizada exclusivamente online para todos os contribuintes que tenham efetivamente de entregar esta declaração de rendimentos.

Contudo, no caso de não conseguir ou não saber entregar a declaração online, a AT criou diversas ferramentas como é o caso do Atendimento Digital Assistido que através de funcionários devidamente credenciados o ajudam a preencher a sua declaração.

Veja também:

  1. Ilidio on 23 Abr 2018:

    Bom dia , o meu pai faleceu a 22/ 07/ 2017 e ja era viuvo.
    Tenho de fazer o IRS dele na mesma? Como é preenchida a declaração?

    se alguem me souber ajudar agradecia.

    Reply to Ilidio

  2. Mario on 19 Abr 2018:

    Boa tarde ..validei o irs no dia 6 deste mes .quando vou ser reembolsado ?

    Reply to Mario

  3. Sónia Morgado on 16 Abr 2018:

    Boa tarde.

    Sou trabalhador independente e tenho 2 filhos menores em que recebi no ano de 2017 o fundo de garantia de alimentos a menores e não sei onde colocar na declaração de iRS

    Reply to Sónia Morgado

  4. Eui Madeira on 12 Abr 2018:

    Bom dia

    Penso que tambem são considerados DEPENDENTES os maiores de 18 anos com grau de insufeciencia igual ou superior a 60% devidamento comprovado por o multiusos.

    corrijam-me se estiver errado

    atentamente

    Rui Madeira

    Reply to Eui Madeira

  5. Alexandre on 10 Abr 2018:

    Bom dia.

    Preciso de uma orientação pois ao tentar enviar a declaração, recebo o erro 001W informando que a residência fiscal declarada no quadro 8A do rosto do modelo 3 não está de acordo com os dados do cadastro.
    Informo que a morada foi atualizada nas finanças.

    O que fazer neste caso?

    Obrigado

    Reply to Alexandre

  6. SOFIA on 07 Abr 2018:

    Bom dia , o meu pai faleceu a 26/ 12/ 2017 e ja era viuvo, nao deixou herança nenhuma, posso fazer o IRS normal , com o contribuinte dele e a senha ? é que tentei fazer automatico visto que ele so recebia a pensao e nao tem acçoes nem nada dessas coisas e o sistema nao deixa, tenho que fazer manual, e achei estranho o porque se alguem me souber ajudar agradecia.

    Reply to SOFIA

  7. Patrícia on 04 Abr 2018:

    Bom Dia..

    Tenho uma dúvida no preenchimento do IRS de 2017, um filho que completou 26 em Setembro de 2017 e não tem rendimentos pois ainda se encontra a estudar pode ser considerado dependente?
    Obrigada.
    Patrícia

    Reply to Patrícia

  8. Bruno on 03 Abr 2018:

    Boa noite,

    As mais valias pela venda de imoveis não parece estar a funcionar corretamente. Vendi um imóvel de habitação própria por 265 mil em 2017. Adquiri-o em 2011 por 177500 e tive despesas de 24 mil euros, o que aplicando a formula do calculo de mais valia daria uma mais-valia de 56423,45. Tinha um valor em divida no banco de 152 mil euros e reinvesti 90 mil euros na compra de outro imóvel de habitação própria. No entanto, o rendimento global aumenta-me em 15 mil euros com a operação

    Reply to Bruno

  9. Orquidea on 30 Nov 2017:

    Sou trabalhadora dependente em Portugal (todos os meus rendimentos provêm de Portugal).
    Mas no ano de 2017, passei 187 dias fora do país a trabalho (ao serviço da empresa portuguesa).
    Tenho direito a alguma redução de IRS? Se sim, o que devo fazer para ter essa redução

    Informação adicional: tenho residencial fiscal em Portugal, possuo habitação permamente em Portugal.

    Reply to Orquidea

  10. Amélia Santos on 05 Jul 2017:

    Bom dia,
    Por favor agradecia esclarecimentos sobre o seguinte:
    A minha sogra faleceu em Abril.
    Tem apenas um filho. Não há heranças e sendo ela viúva,quem deveria ter feito o IRS de 2016…
    Era a ex nora que fazia o IRS, com concordância dela. E por litígio com o filho da falecida, não o fez este ano.
    Sabemos que tem 800 euros a pagar. O que vai acontecer neste caso??
    Obrigada pela atenção dispensada.

    Reply to Amélia Santos

  11. Jacinto on 23 Jun 2017:

    Boa tarde..e o seguinte o meu filho está no meu agregado familiar mas como de momento estou desempregado o meu pai quer assumir as despesas escolares do meu filho…ele depois poderá colocar essas despesas no irs sem o neto estar no seu agregado familiar? Como poderei fazer? Obrigado

    Reply to Jacinto

  12. Carla Rebelo on 12 Jun 2017:

    Boa noite estou separada há 6 anos ,mas não divorciada fiquei na casa e assumi todas as despesa , contribuição e tudo ,metemos sempre o IRS juntos,mas está m sempre atirar à cara k só recebo por causa dele (repartimos metade para cada um)mas ele tb só recebe por causa das despesas pois ele só põe o papel do emprego,eu quero legalizar a minha situação tou farta,para o ano quero por o IRS sózinha,como é k fica as despesas da casa ,põe eu sózinha ou ele tb põe ,como funciona isso , obrigada espero k m possa ajudar

    Reply to Carla Rebelo

  13. Eduardo Mendonça on 06 Jun 2017:

    Bom dia
    Quero colocar a questão seguinte:

    No caso de arrendamento de um terreno (imóvel rústico) a alguém com atividade empresarial quais os tipos de despesas que posso colocar no anexo F? O arrendatário explora um pomar. Mas o pomar (infraestruturas, portões, redes, manutenção) é mantido por quem arrenda.

    As seguintes despesas são permitidas?
    a) reparação de um trator
    B) reparação de portão
    c) reparação de um motor eléctrico que serve para o arrendatário regar
    d) herbicidas empregues para evitar a proliferação de ervas
    e) Gasóleo agrícola usado no trator para o trabalho anterior

    Obrigado.

    Reply to Eduardo Mendonça

  14. Alexandre Ventura on 06 Mai 2017:

    Boa tarde.

    Gostava de saber onde devo colocar as contribuições para sistema facultativo de segurança social.

    Reply to Alexandre Ventura

  15. Patrick Santos on 26 Abr 2017:

    Boas,eu comecei a trabalhar só no mês passado, e eu preciso de declaração de irs para poder renovar o meu título de residência.
    Queria saber se tem como eu pedir a declaração de IRS em branco obg.

    Reply to Patrick Santos

    • Sandra Gomes on 08 Mai 2017:

      Boa tarde,
      Vivo em união de facto há mais de 4 anos, mas apenas em janeiro de 2017, fui a junta de freguesia pedir o comprovativo de união de facto.
      O irs de 2016 foi entregue em conjunto, pelo facto de estar desempregada, fui aconselhada para tal.
      A dúvida que tenho é de que, apesar de ter pedido, apenas este ano, o comprovativo de união de facto, se o irs de 2016 é declarado como tal.
      Obrigada

      Reply to Sandra Gomes

  16. Carla on 26 Abr 2017:

    Bom dia,

    entreguei a declaração em separado da pessoa com quem vivo. Estas já foram validadas, mas apercebi-me entretanto que era mais vantajoso entregar em conjunto, ao fazer substituição esta vai substituir as declarações dos dois enviadas anteriormente ou tenho que comunicar ás finanças?

    Reply to Carla

  17. Paulo on 20 Abr 2017:

    Boas,

    Ao submeter a declaração IRS 2016 verifiquei que submeti a declaração em conjunto e verifiquei que se a tivesse submetido individualmente seria mais vantajoso.

    Posso submeter novamente a declaração, neste caso separadamente por uma declaração de substituição anulando a anterior? Ou tenho de me dirigir ao serviço Local e solicitar a anulação da anterior declaração? A Declaração já está com a informação “Declaração Certa”.

    Alguém está nesta situação?

    Obrigado!

    Reply to Paulo

  18. Isaura on 19 Abr 2017:

    Um contribuinte que apenas teve rendimentos provenientes de subsídios agrícolas (1300 euros) e de venda de produtos agrícolas (500 euros) é obrigado a entregar declaração de rendimentos?

    Reply to Isaura

  19. Liberato on 16 Abr 2017:

    Boa tarde.
    No ano de 2016 efetuei o IRS em regime de união de fato.
    Este ano posso declarar em regime de solteiro.

    Reply to Liberato

  20. Tiago on 15 Abr 2017:

    Bom dia

    Sou casado e em 2016 apenas eu fui titular de rendimentos visto que a minha esposa é doméstica e por isso não aufere rendimentos.

    É possível nesta situação entregar a declaração de IRS com tributação separada? E nesse caso, ela também precisa de entregar alguma declaração ou pode ser considerada como estando isenta de entregar pois não tem rendimentos?

    Obrigado pelos esclarecimentos.

    Reply to Tiago

  21. Sandra on 13 Abr 2017:

    O meu marido tem invalidez de 60%, no atestado multiusos está explicito invalidez permanente de 60%, mas tem validade até 2014. Nunca mais nos lembramos de renovar o atestado. Uma vez que é permanente podemos apresentar a declaração de irs com esta incapacidade de 60%? Além disso ele recebe pensão de invalidez todos os meses. O meu marido têm 45 anos

    Reply to Sandra

  22. Edgar on 10 Abr 2017:

    Boa Tarde,

    Onde se insere informação sobre ações do estrangeiro? A minha empresa, ofereceu-me ações e nao sei onde devo incluir essa informação. Sei que é no anexo “J”, no entanto ja ouvi dizer que é no quadro 8, outros no quadro 9.2 … Podem dar uma ajuda?
    Obrigado!!

    Reply to Edgar

  23. Helena Hilário on 06 Abr 2017:

    Bom dia,

    O meu pai era viúvo e faleceu em Abril do ano passado.
    Ao preencher o IRS não aceita a senha dele para concluir o preenchimento.
    Como faço: é o NIF da herança e respectiva senha?

    Reply to Helena Hilário

  24. Carlos Serrano on 06 Abr 2017:

    A minha faleceu este ano(fevereiro) relativamente há entrega do IRS do meu pai qual o estado civil que devo por dado ser relativo ao ano passado?

    Reply to Carlos Serrano

  25. Maria Loureiro on 16 Fev 2017:

    Os meus pais auferem anualmente cerca de 8300 euros na totalidade das suas pensões. Segundo a tabela para 2017 parece-me que não pagam IRS mensal visto que uma das pensões é cerca de 420 euros e a outra aproximadamente 270 euros. Neste caso devem apresentar todas as despesas (saúde, arrendamento mensal, etc.) ou pelo facto de não descontarem também não terão direito a devolução?
    Obr.
    Maria Loureiro

    Reply to Maria Loureiro

  26. miguel garrido on 13 Fev 2017:

    bom dia
    tenho uma filha com 23 anos e ate set/2016 esteve a completar o mestrado, entretanto arranjou um part time aos fins de semana, a minha duvida ela faz parte do meu agregado familiar como depende neste ano 2016 por estar a estudar como faço na entrega da declaração do IRS tenho que mencionar os valores ganhos por ela também?

    Reply to miguel garrido

    • Augusto Sousa on 14 Fev 2018:

      o meu filho tem 25 anos e aufere o rendimento minimo e apenas trabalhou 11 meses e continua a estudar. o valor que recebeu tenho que o declarar e em caso afirmativo como o faço. não será mais vantajoso não o incluir como dependente?

      Reply to Augusto Sousa

  27. aAana on 24 Nov 2016:

    Boa noite, estou junto a viver com meu namorado à alguns anos. neste momento nasceu um filho.ganho o ordenado mínimo tenho feito o IRS separado ,ele ganha mil e tantos euros.A pergunta e a seguinte posso pedir o abono família do meu bebe na segurança social em meu nome para poder ter acesso ao escalão maior uma vez que ganho o ordenado mínimo? O meu namorado pode declarar o bebe como dependente e declarar as despesas do bebe no IRS dele sem eu ser penalizada no abono de família?. Boa noite obrigada.

    Reply to aAana

  28. Abel Pereira on 13 Set 2016:

    Bom dia.
    O meu filho entra este ano para a universidade.
    Como só vai candidatar-se na 2ª fase e porque todos os cursos que ele pretende tem poucas vagas, provavelmente não vai entrar.
    O meu pai ofereceu-se para pagar os seus estudos numa universidade privada.
    Poderá o meu pai deduzir as despesas de educação do meu filho (seu neto) no seu irs?
    Se sim, quais os procedimentos a efectuar?
    Abel Pereira

    Reply to Abel Pereira

  29. JESUS COELHO on 23 Jul 2016:

    Boa noite. O cartão de contribuinte dos meus 2 filhos mantém a residência fiscal antiga e não foi alterada na altura em que alterei a minha. Eles são menores estão à minha guarda por decisão judicial após o divórcio e residem comigo.
    As Finanças não aceitam que eu inclua os meus filhos na minha declaração de IRS.
    Isso é legal?

    Reply to JESUS COELHO

  30. Paulo Henriques on 30 Mai 2016:

    Bom dia,

    Será que me conseguem pf indicar onde/como declarar no IRS o evento da Brisa em Julho de 2015 de “Redução de Capital com distribuição de Dinheiro”, que veio reportado no meu extrato de titulos que o Banco enviou? Ou será que não é necessário declará-lo?
    Atentamente
    PH

    Reply to Paulo Henriques

  31. SUSANA on 28 Mai 2016:

    Bom dia

    Gostaria de tirar uma duvida,se entregar o irs fora do prazo depois sou obrigada a entregar separada do meu marido.

    Reply to SUSANA

  32. ANDREIA MARTINS on 22 Abr 2016:

    boa noite chamo me andreia a minha duvida sobre o irs e que eu nao tenho nenhum rendimento e o meu marido esta de baixa medica todo ano como preencho o campo da entidade pagadora? e que no preenchimento nao deixa ir em branco. atenciosamente

    Reply to ANDREIA MARTINS

  33. AntonioLourençoFigueiraEncarnação on 08 Abr 2016:

    Exmos, Srs.
    A minha pergunta é a seguinte:-
    Sou casado, a minha esposa não aufere qualquer rendimento, é dona de casa,vivemos apenas do meu ordenado e a nossa declaração de IRS foi sempre feita em conjunto .Atendendo ás alterações efectuadas, como devo preencher o nosso IRS? Deve ser preenchido em conjunto ou separado?
    Agradeço desde já a informação que me venha a ser dada sobre o assunto.

    Reply to AntonioLourençoFigueiraEncarnação

  34. Ricardo Patroni on 06 Abr 2016:

    Por decisão homologada por Juiz, além da Pensão de Alimentos sou responsável por pagamento de 100% das despesas médicas e 50% das despesas de educação. Essa despesas estão no NIF da minha filha. Como deduzir essas despesas no meu IRS 2015 ?

    Reply to Ricardo Patroni

  35. Joaquim da Silva Tendeiro Negrita on 04 Mar 2016:

    Emos. Srs.
    A minha pergunta é a seguinte:
    Sou casado, a minha esposa não aufere qualquer rendimento,. vivemos apenas da minha pensão neste caso como devo preencher o nosso IRS? Deve ser preenchido em conjunto ou separado?
    Agradeço desde já a informação que me venha a ser dada sobre o assunto.

    Reply to Joaquim da Silva Tendeiro Negrita

    • Ricardo Rodrigues on 16 Mar 2016:

      Boa noite Joaquim Negrita,
      De acordo com o que nos indica, poderá ser vantajoso a entrega do IRS em separado, pois um dos membros está desempregado ou sem qualquer tipo de rendimento. No entanto vai também depender das despesas que cada um tenha associadas ao contribuinte. Desta forma, o nosso conselho é que faça uma simulação de entrega de IRS tendo em conta os 2 cenários, para que desta forma possa comparar os resultados obtidos em cada um, e optar por aquele que traga mais vantagens financeiras para vocês.
      Esperamos ter conseguido esclarecer a sua dúvida.

      Reply to Ricardo Rodrigues

  36. Joaquim Negrita on 04 Mar 2016:

    Sou casado, a minha esposa não aufere qualquer rendimento. Neste caso qual é a melhor forma de preencher o IRS é em conjunto ou em separado?
    Joaquim Negrita

    Reply to Joaquim Negrita

  37. Elisabete on 16 Abr 2015:

    Boa noite,

    A minha avó faleceu em março do ano passado, e era viúva. Como devo preencher o seu IRS? É possível fazer o seu IRS de forma isolada?
    Obrigad

    Reply to Elisabete

  38. jose neves on 06 Mar 2015:

    Exmos, Srs
    Por favor necessito de ajuda de como/onde colocar no AnexoB a venda de umas arvores
    que vendi em 2014 por 800euros a empresa passou factura e já pagou 6% -48euros
    isto e um caso isolado pois não outro negócio a não ser o meu trabalho como recepcionista
    Ficarei muito grato se houver algúem que me informa como preencher este Anexo
    Muito Obrigados
    jose neves

    Reply to jose neves

Assuntos

Faça a sua simulação e compare

Artigos recentes