12 Respostas as suas dúvidas sobre crédito pessoal

É cada vez mais comum que as famílias portuguesas recorram ao crédito pessoal como forma de dar seguimento a projetos ou aquisições que de outra forma não têm possibilidade de pagar.

No entanto, é ainda muito comum que hajam informações que desconhecem, uma vez que existem diversas ofertas completamente diferentes no mercado.

Assim sendo, de forma a esclarecer as dúvidas mais comuns que nos chegam por parte dos nossos leitores, o NValores resolveu esclarecer as 12 dúvidas mais comuns sobre crédito pessoal.

Dúvidas sobre o crédito pessoal

A grande maioria das pessoas sente alguma dificuldade em obter todos os esclarecimentos sobre o crédito pessoal num único local, necessitando por isso de fazer diversas pesquisas.

Hoje iremos facilitar a sua vida, e esclarecer as dúvidas mais comuns.

1 – O que é um crédito pessoal?

Um crédito pessoal é um empréstimo cedido por um banco ou entidade bancária, e que tem como principal objetivo satisfazer uma necessidade de compra (independentemente da tipologia da mesma).

Existem diversas finalidades de crédito sendo as mais conhecidas: automóvel, férias, remodelações na casa ou aquisição de mobiliário…

2 – Os montantes financiados são iguais para todas as pessoas?

Não. Os montantes de um crédito pessoal podem variar entre os 500€ e os 75.000€ dependendo da finalidade do mesmo.

Assim sendo, é importante que analise as diversas ofertas existentes no mercado, tal como a FINE associada a cada um (ficando assim a saber qual a TAEG, TAN e MTIC).

3 – O que é a FIN?

A FINE (ou Ficha de Informação Normalizada) é um documento padrão instituído pelo Banco de Portugal que todas as instituições bancárias e financeiras tiveram de adotar, e onde pode consultar toda a informação de forma detalhada relativamente ao crédito cedido por essa entidade.

Assim sendo, é um documento que lhe permite comparar de forma simples todas as ofertas disponibilizadas por diferentes entidades.

4 – O que é a TAN e a TAEG?

Ambos os termos indicam as taxas de juro associadas a um crédito, no entanto existem algumas diferenças entre ambas.

  • TAN – A Taxa Anual Nominal é uma taxa anualizada e é utilizada em todas as operações que envolvem pagamento de juros por parte do consumidor. O seu cálculo mensal é realizado através da divisão por 12 do valor total.
  • TAEG – A Taxa Anual Efetiva Global é a percentagem que lhe indica qual o custo total que o crédito terá para si. A mesma inclui todos os juros, despesas de processo, comissões, assim como custos do seguro.

As taxas de juro associadas a um crédito pessoal variam por norma entre os 3,25% e os 18,9%.

5 – Como são definidas as taxas máximas que o banco cobra?

As taxas máximas relacionadas a cada tipo de crédito estão associadas às taxas de usura. A taxa de usura define os valores máximos de cobrança de juros que podem ser aplicados a cada tipologia de crédito.

É importante salientar que a mesma é revista deforma trimestral, e que as taxas praticadas pelos bancos e entidades nunca podem ultrapassar esses valores.

6 – Qual o valor da minha prestação mensal e em quanto tempo tenho de pagar o crédito?

O valor da sua prestação mensal vai depender do montante total que foi financiado, tal como os prazos de reembolso que podem variar entre 12 meses (1 ano) e 120 meses (10 anos).

É comum que o valor solicitado esteja disponível na sua conta aproximadamente 48 horas após a aprovação do mesmo (por norma não necessita mudar de banco para contratar um crédito pessoal de outra entidade financeira).

Por norma, você pode escolher qual o prazo em que pretende realizar o pagamento do crédito pessoal solicitado, no entanto é importante ter em conta que quanto maior for o prazo, maior é o MTIC.

7 – O que é o MTIC?

O MTIC é o montante total imputado ao consumidor, ou seja, é a soma do valor do crédito + o valor total dos custos (juros, impostos, comissões…).

Assim, é importante que quando estiver a analisar as FINE, verifique qual o montante total quer irá pagar pelo crédito solicitado.

8 – Que documentos são precisos para dar seguimento a um pedido de crédito pessoal?

A documentação necessária, varia consoante a entidade bancária que concede o mesmo. No entanto, existem documentos padronizados que devem ser enviados em todos os casos.

  • Mapa de responsabilidades do banco de Portugal
  • Fotocópia do Cartão de Cidadão;
  • Comprovativo de morada (qualquer fatura que tenha o seu nome e a sua morada);
  • Declaração de IRS (última);
  • 3 Últimos recibos de ordenado;
  • Comprovativo de NIB;
  • Contrato ou proposta devidamente preenchida e assinada.

9 – O que é a taxa de esforço?

É comum que as famílias tenham alguns créditos em vigor quando solicitam um crédito pessoal e que tenham por vezes uma taxa de esforço elevada.

De forma simplificada, a mesma designa a percentagem do rendimento total de um agregado familiar que é destina exclusivamente ao pagamento de créditos. É aconselhável que a mesma nunca ultrapasse o 40% (ou seja, se auferir mensalmente 1.000€ o valor máximo que deve pagar de crédito são 400€).

10 – Tenho o nome no Banco de Portugal, posso solicitar um crédito pessoal?

Não!

Todas as pessoas que têm o seu nome manchado e associado à lista negra do Banco de Portugal não conseguem solicitar nenhum tipo de crédito, uma vez que o mesmo se torna bastante arriscado para as entidades.

11 – Se não pagar um crédito pessoal o que acontece?

O não pagamento de um crédito (independentemente da tipologia) leva a que seja desencadeado um processo que tem por norma 4 consequências para si.

  1. Procedimentos legais;
  2. Penhora de salário;
  3. Nome no Banco de Portugal;
  4. Corte a acessos futuros a créditos

12 – Posso antecipar prestações ou pagar o valor total em aberto?

Sim é possível amortizar pagamentos ou pagar o valor total que se encontre em aberto, no entanto é importante que questione sempre o banco nesse sentido por poderá incorrer de pagamentos adicionais como por exemplo:

  • 0,5% do montante do reembolsado, se o período remanescente entre a data de reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do contrato de crédito for superior a um ano;
  • 0,25% do montante do reembolsado, se o período remanescente entre a data de reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do contrato de crédito for inferior ou igual a um ano.

Agora que já sabe as 12 respostas às dúvidas mais comuns sobre o crédito pessoal, analise de forma mais completa os seus pedidos e tenha especial cuidado com as taxas de juro que são aplicadas.

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt