Devo guardar as facturas em papel?

O novo sistema que o Governo lançou no início de 2015 para a apresentação de despesas de IRS através da inserção automática no site pessoa de cada contribuinte tem suscitado muitas dúvidas no que diz respeito ao seu funcionamento e à necessidade ou não de guardar as faturas em papel.

Vamos esclarecer as principais dúvidas sobre este assunto, por forma a ajudar os nossos leitores a melhor compreender o funcionamento do novo sistema. Continue a ler, para que possa gerir com maior eficácia as suas facturas em papel.

1. Como funciona a comunicação automática de despesas?

Desde o início de 2015 que o sistema automático de inserção de despesas está a funcionar em pleno. Para que as suas compras sejam consideradas como despesas em sede de IRS basta pedir que seja inserido o número de contribuinte na fatura.

Os comerciantes fazem a comunicação das faturas emitidas até um mês após a sua emissão e a partir desse momento a despesa passa a ser considerada como uma despesa para o seu IRS.

2. Tenho de guardar as faturas em papel?

Sempre que pede uma fatura com a inserção do número de contribuinte ela será automaticamente introduzida no sistema da Autoridade Tributária.

As faturas em papel devem ser guardadas até confirmar a sua correta inserção no site do contribuinte. Após essa confirmação pode reciclar as faturas em qualquer tipo de problema.

No caso de verificar que a fatura inserida tem algum erro deve retificar esse mesmo erro e guardar a fatura em causa durante um período de 4 anos. Desta forma, salvaguarda a sua posição e prevê qualquer eventualidade fiscal que possa suceder no futuro.

Já no caso de o comerciante não fazer a comunicação da sua fatura, deverá fazer a inserção manual da mesma e guardá-la durante o mesmo período de tempo, ou seja durante os mesmos 4 anos.

Assim, podemos dizer que de uma forma geral não é necessário guardar as faturas em papel, exceto, quanto acontecem de erros na transmissão da informação para o sistema de Facturas, ou na eventualidade de ausência de comunicação da sua fatura.

Veja A Nossa Sugestão

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt