Renegociar créditos passo a passo 2018-10-09T19:08:39+01:00

Renegociar créditos passo a passo

Aprenda como renegociar o crédito passo a passo e poupe até 60% nas suas prestações.

Nos dias que correm, a maioria dos portugueses não conseguem poupar. Na verdade, para milhares de famílias portuguesas, conseguir que o dinheiro estique até ao final do mês já é um tremendo desafio. Se é esta a sua situação e se parte do problema passa pela prestação de um empréstimo, saiba que é possível renegociar créditos.

Sempre que o orçamento mensal começa a ficar curto e que é necessário reduzir despesas, a renegociação de crédito é uma excelente opção.

Felizmente, existem opções que permitem renegociar o crédito pessoal, entre os quais: consolidação de créditos, alargamento do prazo de pagamento e carência de capital. Apesar de funcionarem de forma bastante diferente, todas estas opções possuem objetivos comuns: a redução do custo mensal ou a redução dos juros pagos pelo empréstimo.

Assim, quer tenha apenas um crédito pessoal ou vários créditos, deve certamente tentar avançar para uma renegociação.

Quando pensar renegociar o crédito pessoal, não se esqueça de avaliar a sua taxa de esforço. Parecendo que não, este dado será um dos maiores trunfos que terá durante as negociações. Isto porque o banco ou instituição financeira com quem está a negociar não deseja que deixe de poder cumprir com os seus pagamentos mensais.

Período de Carência

Esta é possivelmente uma das medidas que mais ajuda a aliviar de forma imediata o peso do pagamento de um empréstimo pessoal. Durante o período de carência irá pagar apenas juros, o que significa que durante esse tempo a sua prestação será reduzida. Contudo, note que esta opção também tem desvantagens: irá precisar de mais tempo para pagar o seu empréstimo, o qual também ficará na globalidade mais caro.

Alargamento do Prazo de Pagamento

Esta é uma das opções mais simples. Como o próprio nome revela, trata-se apenas de pedir mais tempo para pagar o seu empréstimo. Mais tempo para pagar significa que passará a pagar uma menor prestação, mas também que o seu crédito irá ficar mais caro, pois terá que pagar mais juros.

Consolidação de Crédito

Esta opção apenas é válida se tiver mais do que um crédito. Imaginando que tem um empréstimo auto, outro de habitação e mais um pessoal, então a consolidação de crédito pode ser a melhor solução para o seu caso. Ao juntar todos os créditos, passará a ter uma taxa de juro única mais reduzida.

Negociação de Spread

Não é a opção favorita das instituições bancárias, mas não custa nada tentar. O spread é a margem de lucro que as instituições bancárias têm quando concedem empréstimos. Se pensa que o seu spread do seu empréstimo está muito alto, pode sempre tentar negociá-lo.

Renegociação de empréstimos

Renegociar Créditos Passo a Passo

Para que possa renegociar o crédito pessoal com sucesso, convém que acautele todos os passos que apresentamos de seguida.

1. Avalie o seu caso de forma ponderada

Não deve partir para um processo de renegociação das condições do seu empréstimo de forma desesperada ou intempestiva. Será que está efetivamente em condições de renegociar o crédito pessoal?

Caso já tenha entrado anteriormente numa situação de incumprimento, isso pode ter prejudicado a sua margem de manobra junto do seu credor. Se o incumprimento não tiver sido devidamente sanado, então dificilmente você poderá obter sucesso numa negociação com estas caraterísticas.

Pelo contrário, se nunca entrou em incumprimento ou se essa situação ficou resolvida de forma amigável, então pode realmente avançar para a renegociação.

2. Analise todas as alternativas

Renegociar o crédito pessoal é aquilo que pretende, mas como já vimos existem diferentes formas de proceder a esta renegociação. Você deve analisar de forma cuidada todas as opções que estão ao seu dispor.

Utilize todas as ferramentas ao seu alcance para analisar da melhor forma as diferentes hipóteses. A internet é uma excelente fonte de informação sobre este tipo de assuntos, mas você não se deve apoiar a sua decisão apenas nesse género de pesquisas. Visite também o balcão das instituições e questione diretamente a sua entidade credora.

Se necessário, considere mesmo a possibilidade de tentar mudar de credor.

3.Pense nos parâmetros que deseja ajustar

Antes de renegociar créditos, tem que definir quais os parâmetros que deseja negociar. Geralmente, os três aspetos que podem ser negociados são: o prazo de pagamento, as comissões e a taxa de juros. Caso tenha mais do que um crédito, poderá também equacionar a possibilidade de consolidar créditos.

Faça os cálculos que tem a fazer, avalie aquilo que deseja mudar e quais serão os reais impactos dessa mudança.

A Importância de Renegociar Créditos Sem Ir A Tribunal

Por forma a evitar o avolumar de processos em tribunal, o Governo instituiu novas regras relativamente ao processo de renegociar créditos. Assim, desde 2013 os bancos têm que implementar o Procedimento Extrajudicial de Regularização de Situações de Incumprimento (PERSI).

O principal objetivo da implementação do PERSI é proceder à negociação do pagamento das dívidas, evitando avançar para o tribunal. Ao abrigo da legislação que se encontra em vigor, o banco tem um prazo máximo de 15 dias, após a primeira mensalidade entrar em incumprimento, para contatar o cliente.

Caso a situação de incumprimento se mantenha, o cliente passa de forma automática a estar inserido no PERSI. O próximo passo é a análise da situação económica do cliente.

Em seguida, o banco dispõe de 30 dias para informar o cliente dos resultados da sua avaliação e para apresentar uma ou diversas propostas de regularização (por exemplo, a consolidação dos diversos créditos ou a renegociação das condições do contrato).

Segue-se a fase de negociação. Se o cliente recusar as propostas apresentadas, o banco deve apresentar outras propostas. Caso o cliente tenha proposto uma alternativa, a instituição bancária deve analisar a proposta e apresentar uma resposta no prazo de 15 dias.

Enquanto o processo PERSI se prolongar, a instituição bancária não pode recorrer aos tribunais. Esta lei também impede os bancos de cobrarem comissões sobre a renegociação das condições do contrato de crédito, incluindo sobre a análise e efetivação da operação.

Os bancos apenas podem cobrar sobre despesas como o pagamento de conservatórias, ou outras despesas de natureza fiscal.

A nova lei também protege o fiador. Caso o contrato esteja garantido por fiança, o banco é obrigado a informador o fiador, tendo um prazo máximo de 15 dias para fazê-lo. Após ter sido informado, o fiador tem 10 para solicitar o início do PERSI.

Tome Uma Decisão Consciente

De uma forma geral, estas são as informações mais relevantes que deve conhecer quando pensa renegociar créditos. Com a informação que o NValores aqui disponibiliza estará seguramente mais apto a tomar uma decisão consciente e equilibrada.

Não se esqueça de avaliar os custos dessa renegociação e caso seja a expectativa seja positiva, então avance.