Início / Artigos / Empreendedorismo / Aquisição de Empresas

A crise é sinónimo de dificuldades para muitos particulares e para muitas empresas, mas para uma pequena minoria estes períodos são uma excelente oportunidade para encontrar negócios rentáveis.

Nestas alturas, surgem sempre muitas oportunidades de aquisição de empresas a ótimos preços e com um grande potencial.

Nem sempre é garantido que uma empresa que atravessa dificuldades financeiras seja um mau negócio.

Pelo contrário, muitas vezes essas empresas precisam apenas de uma gestão mais experiente ou de alguma recapitalização para alcançarem outros voos.

Porque os empresários optam por vender as suas empresas

Parece estranho imaginar que alguém que dedicou tanto para construir a própria empresa decida vendê-la. Porém, essa é uma realidade e os motivos, geralmente, estão relacionados com os tópicos que mencionamos abaixo.

Administração má e falta de capital de maneio

Estes são os principais motivos que deixam uma empresa à beira da falência. Geralmente, são dois fatores que caminham juntos e tornam difícil a recuperação do negócio.

Nestes casos, de nada adianta recorrer às linhas de crédito, uma vez que o dinheiro a ser injetado corre grandes riscos de ser mal administrado. Por isso, a venda costuma ser a única saída.

Problemas de sociedade

Constituir uma sociedade para fundar uma empresa não é tarefa fácil. O relacionamento entre os sócios deve ser o mais harmonioso possível, para que o negócio consiga crescer.

Ao longo do tempo, alguns interesses podem divergir, ao ponto de tornar a gerência da empresa impraticável. Nestes casos, alguns empresários também preferem optar pela venda.

Desinteresse pelo negócio ou perdas económicas

Muitos sucedem na gestão de um negócio por questões familiares. Geralmente, é o caso de empresas que passam de pais para filhos.

Se os mesmos já estão a construir carreiras noutros setores, então não há interesse em continuar o negócio e a venda torna-se a solução mais viável.

As perdas económicas, especialmente em momentos de crise, também são um dos principais motivos para a venda de uma empresa.

Porque é que a crise é sinónimo de oportunidade

Aquisição de empresas na pandemia

Se, por um lado, a crise é um dos motivos que levam à venda das empresas por dificuldades financeiras, por outro o cenário abre oportunidades.

Isto porque os períodos de crise facilitam a aquisição de empresas, mas esta não é a única vantagem decorrente dos períodos de maior instabilidade financeira.

Quando uma empresa se encontra em dificuldades, é provável que as empresas concorrentes se encontrem em situações similares.

Problemas como a falta de capital para responder à quebra de tesouraria ou a falta de acesso ao crédito são transversais a diversas áreas de negócios.

Ao realizar a aquisição de uma empresa e ao dotá-la de meios financeiros e de gestão que possibilitem superar a concorrência, os investidores estão a abrir um caminho rápido para a liderança do mercado.

Aquisição de empresas na pandemia

Para atestar que os períodos de crise criam boas oportunidades, basta observar o movimento do Governo no ano transato, de forma a recuperar a economia.

Através do Programa de Estabilização, o Governo decidiu conceder benefícios fiscais a empresas que adquiram micro, pequenas e médias empresas (PME) em dificuldades.

Na prática, as empresas que adquiriram participações de controlo em micro e PME em dificuldades, tiveram direito a um regime especial de transmissão de prejuízos fiscais.

Ou seja, os novos donos destas empresas puderam deduzir ao IRC os prejuízos das empresas compradas, desde que o montante não excedesse 50% do lucro tributável.

Porque é vantajoso optar por adquirir uma empresa

Criar uma empresa é uma tarefa complexa para a maioria dos investidores. Os estudos demonstram que a maioria das empresas é incapaz de sobreviver ao primeiro ano de atividade.

As explicações para tais dificuldades são fáceis de apurar: é necessário criar uma reputação e construir uma base sólida de clientes.

A aquisição de uma empresa já consolidada permite ultrapassar essas questões, uma vez que normalmente esses negócios já possuem uma estrutura montada e possuem clientes, fornecedores e até trabalhadores qualificados e conhecedores da sua atividade.

Cuidados a ter na aquisição de empresas

Antes de tomar a decisão de adquirir uma empresa, o investidor deve ter o cuidado de fazer uma avaliação cuidada da realidade do negócio que pensa adquirir. A palavra do vendedor, só por si, não é suficiente para determinar o real valor de uma empresa.

O comprador deve solicitar acesso ao histórico da empresa e, com o apoio de um especialista, deve analisar os documentos financeiros. Em termos de análise da performance financeira da empresa, é importante analisar os seguintes aspetos:

  • Necessidades a nível de fundo de maneio
  • Liquidez
  • Rotação de estoques
  • Prazos médios de recebimento e pagamento
  • Solvabilidade
  • Rentabilidade
  • Fluxo de caixa

Mais uma vez é necessário frisar que, caso o investidor não se sinta capacitado para fazer uma análise correta destas informações, deverá requisitar o apoio de profissionais com experiência neste tipo de operações.

Onde comprar empresas

Agora que já olhámos para os méritos da aquisição de empresas, também é importante identificar algumas das melhores opções para comprar empresas:

  • Trespasse.com – Fundado em 2009, o site trespasse.com oferece centenas de oportunidades de negócio para quem pretende investir na compra de empresas. É possível segmentar os anúncios por sectores de atividade ou por distrito.
  • Bolsa Portal Negócios – É um site fundado por profissionais, que além de servir como plataforma de compra e venda de empresas, permite o acesso a uma equipa de corretores de negócios que podem ser úteis em todo o processo de avaliação de compra de uma empresa.
  • Anúncios nos jornais – Quase todos os dias é possível encontrar anúncios a anunciar a venda de empresas nos principais jornais nacionais. Basta consultar estes jornais diariamente e estar atento aos classificados.

Autor: Ricardo Rodrigues

 

CEO e Fundador da RRNValores Unipessoal, Lda, Ricardo Rodrigues gere uma equipa formada por consultores, criadores de conteúdos e programadores que desenvolvem e mantêm uma plataforma gratuita com informação e comparação de produtos bancários.

Formado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) e apaixonado pela área Financeira, criou o nvalores.pt em Agosto de 2013 com a missão de garantir uma comparação independente de produtos bancários em Portugal.

Exerceu funções de consultor financeiro independente na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras.

Email: geral@nvalores.pt

Deixe um comentário