Aprenda como baixar as prestações passo a passo

Aprenda como baixar as prestações financeiras passo a passo

By | 2017-05-19T01:32:34+00:00 08/06/2016|Categories: Crédito Consolidado|

São cada vez mais as famílias portuguesas que se sentem esmagadas com a prestação mensal dos créditos que foram adquirindo para pagar diversas coisas (carro, casa, créditos pessoais, cartões de crédito…).

O mercado de consumo é extremamente vasto (e todos precisamos de adquirir algumas coisas que não temos o dinheiro disponível para pagar) e o acesso ao financiamento era tão simples que muitas famílias acabaram por cometer o erro do sobre-endividamento.

Neste artigo, vamos explicar-lhe como baixar as prestações passo a passo, pois ao conseguir reduzir os pagamentos mensais ao banco, vai conseguir uma poupança mensal que pode chegar aos 70%, e desta forma conseguir organizar melhor as suas finanças e encarar o presente e o futuro com maior otimismo.

Todas os passos para reduzir as prestações bancárias ao máximo

Passo 1 – Consolide os seus créditos e reduza as mensalidades até 70%

As prestações dos diversos créditos contratados podem ser reduzidas de duas formas: a renegociação dos contratos de crédito com a instituição financeira (ou seja, através de todas as alternativas que lhe vamos explicar posteriormente) ou a contratação de um crédito consolidado (que lhe iremos explicar agora).

Outra forma de baixar as prestações consiste em consolidar todos os seus créditos num só, e o que é que isto significa?

Um crédito consolidado é a junção e todos os créditos que tem, num único crédito, ajudando-o a assumir o controlo das suas finanças, eliminando pagamentos atrasados e reduzindo o valor mensal que paga, veja aqui como algumas famílias pouparam mais de 14.000 €/ano através da consolidação dos créditos).

Apesar de ser um processo moroso e algo complexo, através da consolidação de créditos conseguirá reduzir de forma considerável os seus encargos mensais com prestações financeiras.

Contudo não se esqueça que ao consolidar os seus créditos, os seus encargos com prestações mensais irão reduzir-se, mas irá pagar o crédito durante mais tempo.

Se pretender que um especialista fale consigo sobre a possibilidade de consolidar os seus créditos de forma a conseguir baixar as prestações, preencha o formulário que se encontra aqui e será contactado com a maior brevidade possível.

Passo 2 – Faça uma análise profunda ao seu orçamento familiar

Comece por analisar de forma cuidadosa o seu orçamento familiar. Todos nós temos gastos que podem ser cortados diariamente (por exemplo: almoçar ou jantar fora todos os dias, beber café fora, tabaco, gasolina…), e que podem ajudar a balançar as despesas mensais que temos.

Assim sendo, é importante que analise cuidadosamente aquilo que gasta mensalmente, para que possa ter uma maior flexibilidade do seu orçamento.

Com a realização de uma análise cuidada (durante um mês aponte todas as suas despesas num caderno ou numa tabela de excel) pode identificar novas formas de poupança, que vão permitir que coloque algum dinheiro de parte, ou aproveite para pagar algumas prestações financeiras ou amortizar de forma antecipada alguns dos seus créditos, pois se conseguir baixar as prestações será muito mais simples para si no futuro.

Passo 3 – Faça uma análise dos seus extratos bancários

O próximo passo é um dos mais importantes e que deve fazer com tempo e calma. Deve analisar o seu extrato bancário com o intuito de baixar as prestações, uma vez que quase de certeza vai conseguir identificar diversas comissões que são mensalmente pelo banco.

As podem ser eliminadas na totalidade ou serem negociadas com o banco (isso vai depender do próprio banco e da sua relação financeira com ele). Caso o seu banco atual não aceite negociar, pode sempre mudar de banco, já que diversas entidades bancárias não cobram qualquer tipo de comissão.

Por muito insignificante que lhe pareça esta quantia pense da seguinte forma: 8 euros mensais de comissão representam 96 euros por ano (e se calhar 96€ já chegam para pagar uma prestação do cartão de crédito ou do crédito pessoal).

Passo 4 – Pague a totalidade dos seus cartões de crédito

Os cartões de crédito são a pior dor de cabeça para as famílias, uma vez que a sua facilidade de utilização, faz com que seja possível uma utilização descontrolada do mesmo, elevando desta forma os gastos que tem mensalmente.

Os bancos adoram os cartões de crédito, pois muitas vezes devido ao sobre-endividamento as famílias não conseguem pagar as prestações atempadamente, levando a juros de mora altíssimos.

Toda (ou quase toda) a poupança que conseguir fazer ao seguir os passos 1 e 2, deve ser utilizada para o pagamento das prestações dos cartões de crédito.

Caso tenha diversos cartões de crédito por pagar, comece por aquele que tem as taxas de juros mais altas, e assim que o mesmo esteja totalmente pago, utilize o dinheiro que ficou disponível mensalmente para o próximo.

Ao fazer as coisas desta maneira, vai conseguir reduzir prestações e sair do sobre-endividamento. Um fator muito importante e que deve ter sempre em conta é que após o pagamento de um cartão de crédito, o mesmo deve ficar em casa, guardado para uma emergência (e por emergência quer dizer um eletrodoméstico que se avariou, ou um arranjo surpresa do carro).

Se continuar a utilizar o cartão de crédito sempre que quer comprar algo novo, vai ser bastante complicado sair deste ciclo vicioso, continuando a estar constantemente numa questão de sobre-endividamento.

Passo 5 – Transforme a dívida do seu cartão de crédito em crédito pessoal

Se estiver a sentir dificuldade em pagar a dívida associada ao seu cartão de crédito (devido às taxas de juros ou a qualquer outro problema) tente negociar com o seu banco, no sentido de transformar essa dívida em crédito pessoal. Não é garantido que o banco aceite, mas caso isso suceda esta é uma forma excelente de baixar as prestações.

E por norma os bancos têm sensibilidade para fazer essa alteração, pois o principal intuito é que pague a sua dívida, por isso é uma questão de tentar.

Algumas alternativas para baixar as prestações bancárias

Além das alternativas que apresentamos anteriormente para baixar as prestações, existem mais algumas onde pode recorrer, no entanto é importante salientar que na maior parte dos casos, a longo prazo o valor que vai pagar será muito superior.

1ª – Carência de capital

A carência de capital é também umas das soluções que lhe pode permitir baixar as suas prestações. Deverá falar com o banco, e durante algum tempo apenas irá liquidar os juros da sua dívida.

Esta é uma solução a curto prazo, que lhe vai permitir reduzir o peso que as prestações que está a pagar, no entanto, voltamos a salientar que na totalidade o crédito irá ficar mais caro. Mas a curto prazo vai-lhe permitir fazer face às dificuldades.

2ª – Aumento do prazo

Outra alternativa para baixar as prestações com créditos consiste no aumento do prazo. Esta solução irá permitir-lhe uma redução bastante elevada das prestações que tem atualmente, no entanto, tal como no caso da carência de capital, irá pagar mais juros uma vez que o crédito irá demorar mais a ser pago.

É importante salientar, que todas as alternativas propostas vão requerer da sua parte, um esforço financeiro bastante elevado, no entanto, assim que tudo estiver organizado, vai conseguir alcançar a estabilidade financeira.

Se pretender que um especialista fale consigo sobre a possibilidade de consolidar os seus créditos de forma a conseguir baixar as prestações, preencha o formulário que se encontra aqui e será contactado com a maior brevidade possível.

Veja também:

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2017-05-19T01:32:34+00:00 08/06/2016|Categories: Crédito Consolidado|

About the Author:

Formado em Engenharia e apaixonado pela área Financeira, Ricardo Rodrigues criou a NValores em Agosto de 2013 com a missão de melhorar a literacia financeira dos Portugueses. Exerceu funções profissionais inerentes à categoria de Consultor Financeiro na Empresa Maxfinance, nomeadamente assessoria na obtenção de crédito pessoal, crédito consolidado, crédito automóvel, cartões de crédito, crédito hipotecário, leasing, seguros e aplicações financeiras. Desde de 2013 com funções profissionais inerentes à categoria de CEO na RRNValores Unipessoal, Lda, especificamente, gere uma equipa formada por consultores, marketing de conteúdos e programadores que criam, desenvolvem e mantêm uma plataforma com informação e comparação de produtos financeiros gratuita para todos os utilizadores. Email: geral@nvalores.pt

2 Comments

  1. Manuel Rodrigues 09/06/2016 at 12:09 - Reply

    Olá bom dia
    Como poderei fazer para baixar as prestações passo a passo ?
    Caso lhe seja possível, agradeço a sua atenção
    Atenciosamente
    Manuel Rodrigues

    • Ricardo Rodrigues 14/06/2016 at 19:56 - Reply

      Boa tarde Sr.º Manuel Rodrigues,

      Já lhe enviámos todos os detalhes por email. Caso tenha mais alguma dúvida entre em contacto.

      Atentamente,
      Ricardo Rodrigues

Leave A Comment