Prazo de entrega do IRS em 2018

Prazo de entrega do IRS em 2018

By | 2018-01-26T20:47:26+00:00 26/01/2018|Categories: Impostos|Tags: |

Falta pouco mais de dois meses para começar a data de entrega da declaração anual de IRS, e com ela chegam as dores de cabeça para milhares de contribuintes.

Nesta fase, é preciso validar faturas, reclamar de valores com os quais não concorda, entregar o IRS, esperar que o mesmo seja validado… enfim…

As alterações à forma como os portugueses entregam a declaração de IRS começaram em 2016, mas todos os anos algo de novo acontece. Conheça então de seguida as datas para entregar o seu IRS este ano.

Datas a ter em conta para a entrega do IRS em 2018

Como ainda faltam 2 meses para entregar a sua declaração anual, deixamos-lhe de seguida as datas que deve ter em conta para não ter problemas na entrega do seu IRS.

1 – Confirmar faturas no e-fatura – Até 15 de fevereiro

Tem até dia 15 de fevereiro para consultar, registar e confirmar todas as faturas que podem ser abatidas à coleta, através da plataforma e-fatura.

É importante ter em conta, que as empresas têm até dia 25 do mês seguinte à emissão da fatura para as comunicar ao Fisco. No entanto, muitas delas erradamente, não o fazem ou comunicam as mesmas com valores ou dados incorretos.

Assim sendo, aceda ao e-fatura com o NIF e a sua password das finanças, e verifique se todas as faturas disponíveis estão inseridas nas categorias certas e valide as que estiverem pendentes.

Este procedimento deve ser realizado por todos os membros do agregado familiar (incluindo dependentes).

Lembre-se também que a partir de 2018 todas as declarações de IRS são entregues através do portal das finanças, por isso, se ainda não tem acesso ao Portal das Finanças dos seus filhos, solicite a password de acesso o mais rapidamente possível.

Veja tambémComo validar faturas passo a passo?

2 – Reclamar valor das despesas – Até 15 de março

Se quiser fazer alguma reclamação relativamente às suas faturas ou ao valor que foi apurado pela Autoridade Tributária, deve realizar a mesma até dia 15 de março.

No entanto, deve em primeiro lugar verificar para cada um dos contribuintes quais são as despesas que estão a ser apuradas para efeito de IRS.

Para isso, é necessário analisar todos os setores disponíveis, nomeadamente: despesas gerais familiares, despesas de saúde, despesas de formação e educação, encargos com imóveis para habitação permanente, encargos com lares, reparações de automóveis, reparação de motociclos, restauração e alojamento, cabeleireiros e despesas com o veterinário.

É importante frisar, que mesmo fazendo a reclamação antes da data de entrega da declaração anual de IRS, é obrigado a cumprir com os prazos de entrega desta declaração e com os prazos de pagamento, sob pena de ter uma coima associada ao atraso.

3 – Entrega da declaração de IRS – Entre 1 de abril e 31 de maio

Em 2018, tal como aconteceu o ano passado, existe apenas um único prazo para a entrega da declaração de IRS para todos os contribuintes, independentemente da atividade profissional que seja exercida.

Assim sendo, independentemente do tipo de rendimento que aufere mensalmente, vai ter entre 1 de abril e 31 de maio para proceder ao preenchimento e entrega da declaração de IRS em 2018.

É também importante saber, que no caso de ter de liquidar IRS tem até dia 31 de agosto para o fazer.

Trabalhadores dependentes ou pensionistas

É ainda importante indicar, que a grande maioria dos contribuintes que auferiram apenas rendimentos provenientes de pensões ou trabalho por conta de outrem, têm ainda a vida mais simplificada, já que está à sua disposição a entrega automática de IRS.

Ou seja, a Autoridade Tributária apura e preenche automaticamente os dados da declaração de IRS.

No entanto, no caso de não estar abrangido, ou não concordar com os valores preenchidos, tem de entregar a declaração do Modelo 3 de IRS (categoria A ou H) exclusivamente por via online, já que não é possível a sua entrega em formato papel a partir de 2018.

Lembre-se que se falhar o prazo da entrega do IRS (até 31 de maio) resulta no pagamento de uma coima (até 37,5€), por esse motivo não convém facilitar, devendo proceder à entrega da mesma nos prazos estipulados.

Ainda vai a tempo de se preparar para ver o seu processo de entrega da declaração de IRS de forma mais simples e menos problemática.

E lembre-se sempre que não deve esperar pelos últimos dias para o fazer, pois podem ocorrer alguns problemas pontuais como inacessibilidade do sistema online ou filas imensas nas repartições das finanças.

Quanto mais cedo fizer o preenchimento e entrega da sua declaração anual de IRS, mais cedo sabe se tem a receber ou se pelo contrario terá de liquidar algum valor.

Veja também:

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2018-01-26T20:47:26+00:00 26/01/2018|Categories: Impostos|Tags: |

About the Author:

Ricardo Rodrigues é consultor financeiro independente e presta serviços de consultoria financeira em crédito pessoal, crédito consolidado e crédito habitação. Email: geral@nvalores.pt