12 Respostas as suas dúvidas sobre crédito pessoal

By | 2016-10-19T18:29:15+00:00 19/10/2016|Categories: Crédito Pessoal|

É cada vez mais comum que as famílias portuguesas recorram ao crédito pessoal como forma de dar seguimento a projetos ou aquisições que de outra forma não têm possibilidade de pagar.

No entanto, é ainda muito comum que hajam informações que desconhecem, uma vez que existem diversas ofertas completamente diferentes no mercado.

Assim sendo, de forma a esclarecer as dúvidas mais comuns que nos chegam por parte dos nossos leitores, o NValores resolveu esclarecer as 12 dúvidas mais comuns sobre crédito pessoal.

Veja aqui a solução no NValores

Dúvidas sobre o crédito pessoal

A grande maioria das pessoas sente alguma dificuldade em obter todos os esclarecimentos sobre o crédito pessoal num único local, necessitando por isso de fazer diversas pesquisas.

Hoje iremos facilitar a sua vida, e esclarecer as mais comuns.

1 – O que é um crédito pessoal?

Um crédito pessoal é um empréstimo cedido por um banco ou entidade bancária, e que tem como principal objetivo satisfazer uma necessidade de compra (independentemente da tipologia da mesma).

Existem diversas finalidades de crédito sendo as mais conhecidas: crédito auto, crédito para férias, crédito para remodelações na casa ou aquisição de mobiliário…

2 – Os montantes financiados são iguais para todas as pessoas?

Não. Os montantes de um crédito pessoal podem variar entre os 200€ e os 75.000€ dependendo da finalidade do mesmo.

Assim sendo, é importante que analise as diversas ofertas existentes no mercado, tal como a FIN associada a cada um (ficando assim a saber qual a TAEG, TAN e comissões).

3 – O que é a FIN?

A FIN (ou Ficha de Informação Normalizada) é um documento padrão instituído pelo Banco de Portugal que todas as instituições bancárias e financeiras tiveram de adotar, e onde pode consultar toda a informação de forma detalhada relativamente ao crédito cedido por essa entidade.

Assim sendo, é um documento que lhe permite comparar de forma simples todas as ofertas disponibilizadas por diferentes entidades.

4 – O que é a TAN e a TAEG?

Ambos os termos indicam as taxas de juro associadas a um crédito, no entanto existem algumas diferenças entre ambas.

  • TAN – A Taxa Anual Nominal é uma taxa anualizada e é utilizada em todas as operações que envolvem pagamento de juros por parte do consumidor. O seu cálculo mensal é realizado através da divisão por 12 do valor total.
  • TAEG – A Taxa Anual Efetiva Global é a percentagem que lhe indica qual o custo total que o crédito terá para si. A mesma inclui todos os juros, despesas de processo, comissões, assim como custos do seguro.

As taxas de juro associadas a um crédito pessoal variam por norma entre os 3,25% e os 18,9%.

5 – Como são definidas as taxas máximas que o banco cobra?

As taxas máximas relacionadas a cada tipo de crédito estão associadas às taxas de usura. A taxa de usura define os valores máximos de cobrança de juros que podem ser aplicados a cada tipologia de crédito.

É importante salientar que a mesma é revista deforma trimestral, e que as taxas praticadas pelos bancos e entidades nunca podem ultrapassar esses valores.

Veja também: Quais as taxas máximas em vigor

6 – Qual o valor da minha prestação mensal e em quanto tempo tenho de pagar o crédito?

O valor da sua prestação mensal vai depender do montante total que foi financiado, tal como os prazos de reembolso que podem variar entre 12 meses (1 ano) e 120 meses (10 anos).

É comum que o valor solicitado esteja disponível na sua conta aproximadamente 48 horas após a aprovação do mesmo (por norma não necessita mudar de banco para contratar um crédito pessoal de outra entidade financeira).

Por norma, você pode escolher qual o prazo em que pretende realizar o pagamento do crédito pessoal solicitado, no entanto é importante ter em conta que quanto maior for o prazo, maior é o MTIC.

Se pretende calcular o valor da prestação mensal pode utilizar a nossa calculadora online.

7 – O que é o MTIC?

O MTIC é o montante total imputado ao consumidor, ou seja, é a soma do valor do crédito + o valor total dos custos (juros, impostos, comissões…).

Assim, é importante que quando estiver a analisar as FIN, verifique qual o montante total quer irá pagar pelo crédito solicitado.

8 – Que documentos são precisos para dar seguimento a um pedido de crédito pessoal?

A documentação necessária, varia consoante a entidade bancária que concede o mesmo. No entanto, existem documentos padronizados que devem ser enviados em todos os casos.

  • Fotocópia do Cartão de Cidadão;
  • Comprovativo de morada (qualquer fatura que tenha o seu nome e a sua morada);
  • Declaração de IRS (última);
  • 3 Últimos recibos de ordenado;
  • Comprovativo de NIB;
  • Contrato ou proposta devidamente preenchida e assinada.

9 – O que é a taxa de esforço?

É comum que as famílias tenham alguns créditos em vigor quando solicitam um crédito pessoal e que tenham por vezes uma taxa de esforço elevada.

De forma simplificada, a mesma designa a percentagem do rendimento total de um agregado familiar que é destina exclusivamente ao pagamento de créditos. É aconselhável que a mesma nunca ultrapasse o 40% (ou seja, se auferir mensalmente 1.000€ o valor máximo que deve pagar de crédito são 400€).

Para calcular a sua taxa de esforço atual verifique o nosso simulador em 3 passos.

10 – Tenho o nome no Banco de Portugal, posso solicitar um crédito pessoal?

Não!

Todas as pessoas que têm o seu nome manchado e associado à lista negra do Banco de Portugal não conseguem solicitar nenhum tipo de crédito, uma vez que o mesmo se torna bastante arriscado para as entidades.

11 – Se não pagar um crédito pessoal o que acontece?

O não pagamento de um crédito (independentemente da tipologia) leva a que seja desencadeado um processo que tem por norma 4 consequências para si.

  1. Procedimentos legais;
  2. Penhora de salário;
  3. Nome no Banco de Portugal;
  4. Corte a acessos futuros a créditos

Veja em detalhe todas as consequências de não pagar um credito a tempo e horas

12 – Posso antecipar prestações ou pagar o valor total em aberto?

Sim é possível amortizar pagamentos ou pagar o valor total que se encontre em aberto, no entanto é importante que questione sempre o banco nesse sentido por poderá incorrer de pagamentos adicionais como por exemplo:

  • 0,5% do montante do reembolsado, se o período remanescente entre a data de reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do contrato de crédito for superior a um ano;
  • 0,25% do montante do reembolsado, se o período remanescente entre a data de reembolso antecipado e a data estipulada para o termo do contrato de crédito for inferior ou igual a um ano.

Agora que já sabe as 12 respostas às dúvidas mais comuns sobre o crédito pessoal, analise de forma mais completa os seus pedidos e tenha especial cuidado com as taxas de juro que são aplicadas.

O NValores tem diversas parcerias com várias entidades, e por esse motivo consegue oferecer-lhe produtos com características especiais e que vão de encontro às suas necessidades. Para aceder, basta enviar-nos um pedido para que possamos analisar a sua situação.

Se tiver alguma dúvida relativamente a esta questão não hesite em contactar-nos, pois estamos à sua disposição para esclarecer qualquer dúvida que tenha.

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2016-10-19T18:29:15+00:00 19/10/2016|Categories: Crédito Pessoal|

One Comment

  1. Nelson 24/01/2017 at 23:54 - Reply

    Boa noite
    Tive um incumprimento de pagamento de um cartão de credito de uma conta conjunta ao UAL já estava encerrada e nem estava a par do mesmo. Soube quando fui pedir o empréstimo. A divida já esta paga e já não consta no banco de Portugal mas o banco diz que precisa de três meses para fazer o empréstimo. A minha questão e qual a melhor procedimento e se tenho mesmo de esperar os 3 meses mesmo com divida paga e já foi clara do pelo banco de Portugal????

Leave A Comment