Como Contratar um Crédito Pessoal

Contratar um crédito pessoal é uma decisão que deve ser bem ponderada e que requere a uma análise profunda.

A dificuldade em fazer face às despesas contraídas com a contratação de créditos é uma realidade que afeta milhares de famílias portuguesas, de todas as classes sociais. Por isso, antes de avançar e contratar um crédito, o consumidor deve ter a noção de que essa decisão irá ter um impacto prolongado no seu orçamento familiar.

indicações para contratacao de um credito

Na maioria dos casos, a contratação de um crédito familiar é sinónimo de um compromisso de vários anos, o que obriga a pensar não apenas no presente, mas também no futuro próximo.

É fundamental fazer uma análise exaustiva do orçamento familiar, incluindo as despesas recorrentes, mas também as despesas esporádicas e avaliar o impacto que os encargos com o crédito irão ter.

Uma boa ferramenta para melhor avaliar o impacto produzido pela contratação de um novo crédito, no orçamento familiar, é a taxa de esforço.

A taxa de esforço é um indicador que serve para quantificar a percentagem do rendimento mensal que será destinada ao cumprimento dos compromissos financeiros assumidos.

Para calcular a sua taxa de esforço apenas precisa de dividir a soma dos encargos mensais com empréstimos pelos seus rendimentos e multiplicar por 100.

Um exemplo prático: uma família com 400 euros de encargos mensais com empréstimos e com um rendimento mensal do agregado familiar de 1500 tem uma taxa de esforço de aproximadamente 26.7%.

O cálculo da taxa de esforço é extremamente simples, pelo que não existem razões para não utilizar este indicador, sempre que seja necessário.

Após calcular a taxa de esforço, é importante analisar quando dinheiro sobra para fazer face às restantes despesas.

Apoie-se no FIN e no nosso guia prático sobre o crédito

Antes de contratar um crédito pessoal, o consumidor deve procurar informa-se de forma clara sobre todas as caraterísticas do produto de crédito que irá subscrever.

Reunir a informação completa sobre um determinado produto de crédito é fundamental, não apenas para proteger o consumidor, mas também para que seja possível comparar diferentes produtos.

A melhor forma de ter acesso a toda a informação sobre um produto de crédito é através da consulta da sua ficha de informação normalizada, vulgo FIN. O cliente tem o direito de receber o FIN em qualquer circunstância.

Um dos dados que deve obrigatoriamente constar no FIN é a taxa anual de encargos efetiva global (TAEG). Esta é a taxa que quantifica o custo total do crédito e é um dos principais dados para comprar diferentes produtos de crédito.

Antes de assinar qualquer compromisso, os consumidores podem (e devem) solicitar à entidade financeira uma cópia da minuta de contrato, por forma a avaliarem calmamente todas as condições e especificidades do contrato que irão assinar.

Além de ler atentamente a FIN e de solicitar uma cópia da minuta do contrato, antes de contratar um crédito pessoal, os consumidores devem também procurar complementar a informação recebida com outras fontes de informação.

Para ajudar nessa tarefa, disponibilizamos um Guia Prático Sobre o Crédito Pessoal, em PDF, que pode descarregar aqui mesmo.