Simulador de transferência do crédito habitação 2017-09-10T05:03:22+00:00

Transferência de Crédito Habitação no NValores

Tem um spread superior a 2.50%? Ou pretende juntar os créditos? Reduza a mensalidade e o spread.

Conheça as vantagens da transferência de crédito

Reduzir para o spread mais baixo (desde 1.20%)

Reduzir as prestações mensais

Juntar créditos (pessoais, cartões, etc)

Permite financiamento adicional com taxas mais baixas

Mudar para um banco mais barato

Alternativa ao crédito consolidado

Solicite uma simulação grátis e conheça as vantagens da transferência do crédito habitação para um banco mais barato. Temos capacidade de negociação com a banca o que facilita a aprovação.

prefere falar? ligue agora: 936 119 671

Como Podemos Ajudar?

É importante que acima de tudo tenha em conta que um crédito habitação não é um contrato de fidelização. Você não tem de ficar com um mau crédito habitação só porque inicialmente o contratou.

Existem atualmente dezenas de ofertas diferentes neste setor, e o importante é ajustar o valor do crédito habitação às suas necessidades, mas principalmente conseguir pagar menos do que aquilo que paga atualmente (tal como viu anteriormente é possível poupar mais de 1.000€ anuais com esta alteração, ou seja em 30 anos poupa potencialmente mais de 30.000€).

O NValores pode ser o seu aliado nesta mediação de transferência do crédito crédito habitação uma vez que não cobramos qualquer tipo de comissão de avaliação de crédito.

Se está a ponderar transferir o crédito habitação, saiba que pode efetivamente contar connosco, pois temos um vasto historial neste tipo de análise, que nos permite ter uma sensibilidade ao assunto diferente de quem ainda se encontra inicialmente a tratar deste tipo de pedidos.

Qualquer dúvida ou esclarecimentos adicionais que necessite, não hesite em contactar-nos, pois temos todo o gosto em ajudar e esclarecer todas as suas dúvidas.

Motivos da Transferência

São cada vez mais os consumidores que por diversos motivos optam por solicitar uma transferência do crédito habitação que têm atualmente contratado.

Os principais motivos para essa alteração são na maior parte dos casos referentes aos elevados spreads e taxas de juro que estão associadas ao pagamento do imóvel que foi adquirido há já alguns anos (principalmente na altura da crise imobiliária).

No entanto, hoje em dia já é possível transferir o crédito habitação a custo zero. Assim sendo, se está atualmente a pagar um imóvel, mas os valores não são muito atrativos, saiba que pode transferir o mesmo sem ter qualquer custo.

Solicite-nos uma análise grátis e veja como é possível fazer a transferência do crédito habitação com o NValores sem ter de suportar os custos. Conseguimos uma prestação e um spread mais barato.

Fique de seguida a saber tudo o que necessita de forma a dar seguimento ao seu processo. Acredite que é mais simples do que imagina e pode poupar centenas de euros todos os anos.

Como fazer a transferência do crédito habitação com o NValores

Fazer a transferência do crédito habitação não é um processo complicado, no entanto, pode ser um pouco burocrático uma vez que existem diversos documentos que são necessários para que seja dado seguimento a todo o processo.

Mas saiba que todo este processo pode permitir-lhe uma poupança anual em muitos casos superior a 1000€.

4 Passos simples para transferir o crédito habitação com o NValores

Transferir o crédito habitação para outro banco é algo que pode ser feito em apenas 4 passos simples. Vamos explicar-lhe de seguida como é que o pode fazer.

1º – Preencher o formulário

O primeiro passo é o mais simples. Basta preencher o formulário que o NValores disponibiliza com os seguintes dados:

  • Nome completo;
  • Idade do titular mais velho;
  • Email;
  • Contacto telefónico;
  • Spread atual;
  • Valor estimado da avaliação do imóvel;
  • Situação profissional;
  • Rendimento liquido mensal do agregado familiar.

Depois de preencher o mesmo irá receber um email com toda a informação que necessitamos de forma a podermos analisar o seu caso e reencaminhar o mesmo para uma entidade que lhe forneça um crédito habitação com valores mais baixos.

2º – Envio de documentos

Numa fase inicial, os documentos que iremos solicitar (como é óbvio depende dos casos) são os seguintes (os mesmos são válidos para todos os proponentes e respetivos fiadores):

  • Última declaração de IRS (no caso do imóvel estar em nome de dois titulares e no caso de terem entregue o IRS em separado é necessário o envio dos dois documentos) e respetiva nota de liquidação;
  • Mapa da CRC atualizado (pode ver aqui como é que consegue retirar a mesma do Banco de Portugal);
  • Declaração da entidade patronal (onde indica o vinculo laboral, a data de termo do contrato, qual o valor que aufere mensalmente);
  • Cartão de cidadão ou bilhete de identidade (dos titulares);
  • 3 últimos recibos de ordenado (para trabalhadores dependentes) ou 6 últimos meses (para trabalhadores independentes);
  • Extrato bancário dos últimos 3 meses;
  • Caderneta predial;
  • Certidão de registo predial;
  • Comprovativo de morada;
  • Comprovativo do NIB;
  • Passaporte e autorização de residência (para pessoas que não tenham nacionalidade portuguesa).

Como é óbvio, podemos depois necessitar que envie mais documentos de forma a expormos o seu caso às entidades bancárias de forma a tornar atrativo para as mesmas a transferência do seu crédito habitação.

No entanto, depois de preencher o formulário, pode começar a angariar esta documentação pois a mesma é indispensável para que possamos fazer uma análise e preparar todo o processo para o caso de dar seguimento à transferência.

3º – Aguarde pelo nosso contacto

Depois de nos enviar toda a documentação que solicitámos, deverá aguardar pelo nosso feedback. O mesmo será dado assim que tivermos contactado todas as instituições bancárias e analisarmos quais as melhores ofertas.

É importante ter em conta que o processo de transferência de crédito para outro banco realizada pelo NValores, não tem apenas em conta a redução do spread, mas todas as reduções possíveis para que possa efetivamente poupar o máximo com a contratação de um novo crédito à habitação.

4º – Escolha a melhor proposta

Depois de obtermos feedback das diversas entidades, iremos entrar em contacto consigo de forma a que possa esclarecer todas as dúvidas que ainda restem relativamente ao processo, assim como analisar consigo todas as propostas de forma a que tome uma decisão ponderada e que lhe permita uma poupança significativa.

É importante salientar, que devido à burocracia associada a este processo, o feedback por vezes pode demorar alguns dias (pois iremos esperar ter feedback das diversas entidades para lhe podermos apresentar a melhor oferta).

Questões frequentes

1 – Em que altura posso fazer a transferência do crédito habitação?

Hoje em dia a oferta de crédito à habitação em Portugal é bastante abrangente, e os bancos, estão novamente a começar a conceder créditos nesse sentido com maior facilidade (o que não acontecia desde que rebentou a crise em Portugal).

Assim sendo, se atualmente não está satisfeito com as condições do seu crédito e pretende realizar a transferência do mesmo para outra instituição bancária, saiba que o pode fazer em qualquer altura.

A única questão que deverá ter em conta, é que deve avisar o banco com 10 dias de antecedência. Só após esse prazo terminar é que pode efetivamente realizar a transferência do crédito.

Tenha sempre em conta, que o principal intuito de realizar uma transferência de crédito, passa por melhorar as condições de financiamento. Assim sendo, deve ter sempre atenção a todos os pormenores e fazer efetivamente todos os cálculos para dar seguimento ao processo com a entidade que lhe oferece melhores condições.

2 – Quanto posso poupar ao transferir o meu crédito habitação com o NValores?

Fazer a transferência de um crédito à habitação para outro banco com o NValores poderá proporcionar-lhe poupanças anuais na ordem dos 1000€ (como é óbvio irá depender do spread que tem atualmente, assim como os seguros que tem associados). Assim sendo, apresentamos-lhe dois exemplos práticos de casos de sucesso.

Exemplo 1

A Marina e o João compraram uma casa (de aproximadamente 80.000€) e obtiveram um spread inicial de 2.9% (o pagamento mensal era de 252,40€).

Depois de realizar a análise, foi possível reduzir o valor do spread para 1,75% (ou seja, uma redução mensal de 40,4€).

Desta forma a Mariana e o João começaram a pagar mensalmente da sua casa 212€. Foi também possível renegociar o seguro de vida e multirriscos, permitindo uma poupança anual nestes dois seguros de 54€.

Com a transferência de crédito, ambos vão conseguir poupar anualmente cerca de 539€ pela prestação da casa e respetivos seguros.

Exemplo 2

A Filipa adquiriu em 2010 um imóvel no valor de 113.000€ com um spread inicial de 2,75% (durante os primeiros três anos), sendo que o mesmo era posteriormente aumentado para 4,6%.

Ao final dos três primeiros anos, a Filipa estava a pagar aproximadamente 700€ mensais pela prestação da casa e pelos respetivos seguros. Depois da renegociação, conseguiu um spread de 1,75% (uma poupança mensal de 116€).

O seguro de vida também foi reduzido assim como o seguro multirriscos em cerca de 135€ anuais.

Desta forma, a poupança da Filipa ascende aos 1500€ por ano, o que totaliza mais de 55.000€ até ao final do contrato do crédito habitação.

3 – Vale realmente a pena fazer a transferência do crédito à habitação?

É importante salientar que atualmente a taxa de juro (spread) mais baixa do mercado situa-se nos 1,15%, assim sendo, se está neste momento a pagar spreads superiores a 2%, a transferência de crédito é sem qualquer sombra de dúvida bastante vantajosa para si, pois irá permitir-lhe poupar algum valor mensalmente.

No entanto, antes de proceder ao pedido de transferência de crédito, convém saber quais as condições vigentes no seu contrato inicial.

Como é óbvio o spread é algo que é bastante importante num crédito habitação, no entanto, não é apenas a única coisa que tem de se preocupar. Convém que saiba todos os outros produtos ou serviços associados ao contrato (seguro de vida, seguro multirriscos, cartões de crédito, crédito pessoal…).

Enfim… são diversas as questões que deve ter em conta, essencialmente porque existe seguros de vida cujo valor mensal é superior ao da prestação do imóvel.

Outra das questões que deve ter em conta, é a taxa de esforço que vai suportar (ou seja a relação entre os valores que aufere mensalmente vs. os valores que tem atualmente de créditos a pagamento).

Ao transferir o crédito habitação para outro banco, é importante que saiba que pode alterar diversas condições financeiras, nomeadamente: o spread, o prazo do indexante, o regime da taxa de juro (de variável para fixo ou vice-versa), o prazo para a amortização do empréstimo ou a própria modalidade de reembolso.

É importante também salientar, que se estiver neste momento a pagar um spread de 1% ou menos, não lhe compensa transferir o crédito habitação, pois os valores mínimos atuais variam entre 1,15% e 1,75% (ou seja, iria pagar mais do que aquilo que paga atualmente).

4 – Quais os custos de transferir o crédito habitação?

Embora a transferência de um crédito habitação a custo zero já seja efetivamente possível, enquanto consumidor é importante que tenha em mente que existem diversos custos associados a este tipo de transferência, nomeadamente a comissão de reembolso antecipado.

Assim sendo, dependendo do tipo de taxa de juro eu tenha contratada (taxa fixa ou variável), a comissão pelo reembolso antecipado não pode ser superior aos seguintes valores:

  • 0,5% sobre o capital que é reembolsado nos contratos com Taxa de Juro Variável;
  • 2% sobre o capital que é reembolsado nos contratos com Taxa de Juro Fixa.

Veja dois exemplos de seguida.

Exemplo 1

A Filipa e o Miguel adquiriam um imóvel pelo valor de 85.000€ e neste momento têm ainda em dívida 68.500€. O empréstimo tem uma taxa de juro variável, com a EURIBOR a 6 meses.

Desta forma, o valor da comissão de reembolso antecipado seria de 342,5€ (ou seja, 0,5%).

Exemplo 2

A Joana e o Pedro adquiriam um imóvel pelo valor de 85.000€ e neste momento têm ainda em dívida 68.500€. O empréstimo tem uma taxa de juro fixa.

Desta forma, o valor da comissão de reembolso antecipado seria de 1370€ (ou seja, 2%).

5 – Existem mais custos associados a esta transferência de crédito?

Sim, a verdade é que existem ainda outros custos que se encontram associados ao facto de transferir o seu crédito habitação para outro banco. Podemos salientar os seguintes:

  • Comissão de Abertura / Estudo / Gestão de Processo;
  • Comissão de Avaliação;
  • Custos com Escrituras e Registos;
  • Emolumentos Notariais;
  • Custos de Solicitadoria…

6 – É mesmo possível transferir o crédito habitação a Custo Zero?

Então se existem assim tantos custos associados à transferência do crédito habitação, como é que a mesma pode efetivamente ser a custo zero?

A verdade, é que os bancos estão em guerra devido ao decréscimo constante das taxas de juro, e em alguns casos acabam por suportar todos os custos associados à transferência, continuando a ser uma mais valia para eles que a transferência seja realizada.

Leave A Comment