As datas para fazer a entrega do IRS 2015, referente aos rendimentos e despesas de 2014, já chegaram e como tal, esta é altura de preencher a sua declaração.

Como nestas alturas surgem sempre dúvidas, o Nvalores procura mais uma vez esclarecer as suas dúvidas sobre como preencher o IRS 2015.

Para ajudá-lo a saber como preencher o IRS 2015 vamos fazer um guia passo a passo que irá esclarecer tudo (ou, pelo menos garantimos que vamos tentar) o que precisa de fazer para preencher a sua declaração de forma correta.

Atualmente, as declarações de IRS podem ser feitas em papel ou através da internet. A forma mais vantajosa e prática é a internet, por várias razões:

  • Não precisa de estar em filas longas e demoradas para comprar impressos (0,60€ por cada impresso e anexo)
  • Não precisa de esperar numa fila para fazer a entrega da declaração preenchida
  • Os reembolsos de IRS s são mais rápidos
  • O processo é muito simples e antes de submeter a declaração de IRS através da internet é feita uma verificação de erros de preenchimentos, sendo possível corrigi-los antes de fazer a entrega final.

Em seguida, vamos apresentar o guia passo a passo de como preencher o IRS 2015 através da internet. Relembramos que pode obter mais informações aqui: Como preencher o IRS.

Guia para Preencher o IRS 2015

Aprenda como preencher a declaração de IRS

1º – O primeiro passo é ter a senha de acesso ao portal das finanças.

Se ainda não tem esta senha entre no site: http://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/home.action e na barra lateral direita seleciona a opção “Novo Utilizador”, depois basta introduzir os seus dados pessoais e em alguns dias deverá receber uma carta em casa com a sua senha de acesso. Apesar do processo demorar apenas os alguns dias aconselhamos que faça este pedido com antecedência, evitando assim possíveis dores de cabeça.

Nota importante: Sempre que o IRS for apresentado em conjunto com duas pessoas com rendimentos (como o conjugue), todos os elementos devem ter a sua senha de acesso ao portal das finanças.

2º – Entrar no Portal das Finanças com a sua senha e selecionar a pasta “Entregar”, depois na secção das “Declarações” selecionar “IRS”

3º – Depois selecione a opção “Preencher” e a declaração vai aparecer pré-preenchida.

4º – A folha de rosto deverá ser preenchida com as informações genéricas sobre si e o seu agregado familiar.

A folha está organizada por quadros, sendo que todos devem ser devidamente preenchidos:

  • Quadro 1 – O seu código das finanças
  • Quadro 2 – Selecione o ano de rendimentos que está a declarar, neste caso 2014
  • Quadro 3 – Neste campo é feita uma descrição do agregado familiar, com o nome dos sujeitos passivos (quem declara rendimentos), número de dependentes, se houver elementos com deficiência é declarado o grau de deficiência)
  • Quadro 4 – Seleciona-se “1ª Declaração do ano”
  • Quadro 5 – Escolhe-se se a residência fiscal fica no continente, Açores, Madeira ou no estrangeiro
  • Quadro 6 – Seleciona-se o estado civil
  • Quadro 7 – São colocadas informações adicionais. Neste campo a alínea A e B podem ficar em branco (se não forem aplicáveis ao seu caso) mas é muito importante que preencha a C, é o NIB em que pretende receber o reembolso de IRS (caso haja reembolso)
  • Quadro 8 – Prazos especiais (se aplicável)

5º – Selecione o Anexo A (rendimentos de trabalho dependente e/ou pensões) e confirme todos os dados pré-preenchidos.

Confirme todos os dados com atenção, desde os valores dos rendimentos obtidos e o número de contribuinte da entidade que os entregou, passando pelo valor da retenção de IRS e de descontos para a segurança social.

Se não tiver rendimentos desta categoria pode eliminar este anexo.

6º – Caso tenha rendimentos da categoria B (rendimentos empresariais e profissionais) deve adicionar o anexo necessário para declarar esses rendimentos.

Os anexos existentes são:

  • Anexo B – Rendimentos categoria B – Regime simplificado ou Ato isolado.
  • Anexo C – Rendimentos categoria B – Regime simplificado de contabilidade organizada
  • Anexo D – Transparência fiscal e herança divisa, imputação de rendimentos
  • Anexo E – Rendimentos de capitais
  • Anexo F – Rendimentos prediais
  • Anexo G – Mais-valias e outros incrementos patrimoniais
  • Anexo G1 – Mais-valias não tributadas
  • Anexo H – Herança indivisa
  • Anexo J – Rendimentos obtidos no estrangeiro
  • Anexo L – Residente não habitual
  • Anexo SS – Segurança Social

Nota: Para mais informações sobre o que declarar em cada anexo veja o artigoPrazos de entrega e reembolso de IRS 2015

7º – Depois de declarar todos os rendimentos obtidos em 2014 também deve declarar todas as despesas que teve no decorrer do ano. Para tal adicione o Anexo H – Benefícios fiscais e deduções.

Neste anexo pode declarar as suas despesas com:

  • Habitação: 15% dos juros do crédito à habitação ou do valor do arrendamento. O valor máximo para as deduções no caso de habitação própria é de 296,00€ e no caso de arrendamento é de 414,00€.
  • Saúde: 10% do total gasto em despesas de saúde isentas de iva ou com iva de 6%, com um limite de 838,44€. Nos agregados familiares com 3 ou mais dependentes são acrescido 125,77€ por cada um, desde que haja despesas de todos.

E 10% de outras despesas de saúde (com iva de 23% e justificadas com receita médica), com um limite máximo de 65€ ou 2,5% dessas despesas.

  • Educação: 30% das despesas suportadas, com um limite de 760,00€. Nos casos de haver 3 ou mais dependentes acresce 142,50€ por cada um, desde que haja despesas de todos.
  • Encargos suportados pelo proprietário com a recuperação de imóveis: 30% com um limite de 500€.
  • Encargos com lares: 25% do valor, com limite de 403,75€
  • Prémios de seguros com risco de saúde: 10% do prémio com limite de 50€, acrescendo 25€ por dependente.
  • Pensões pagas: 20% dos valores pago, com limite mensal de 419,22€ por beneficiário.
  • Iva suportado: 15% do valor com o limite de 250,00€.
  • Plano Poupança Reforma: 20% do valor, com limite de 400€ (inferior a 35 anos), 350€ (entre 35 a 50 anos) ou 300€ (mais de 50 anos).
  • Regime público de capitalização: 20% do valor, com limite de 350,00€
  • Donativos ao estado em dinheiro: 25% do valor.
  • Donativos a outras entidades em dinheiro: 25% do valor com limite de 15% da coleta.

– Depois de preencher a declaração de IRS 2015 online com todos os seus rendimentos e despesas deve selecionar a opção “Verificar”. Caso haja algum erro de preenchimento será alertado e poderá fazer a sua correção

9º – Aconselhamos que selecione a opção “Simular” antes de submeter a entrega do seu IRS 2015, assim consegue saber quanto irá receber ou pagar e fica a saber com o que pode contar.

10º – Para terminar o processo selecione a opção “Submeter”. Nesta fase será necessário voltar a introduzir o seu número de contribuinte (NIF) e a senha de acesso ao Portal das Finanças.

11º – 48 horas depois de ter submetido a sua declaração de IRS deve voltar a entrar no Portal das Finanças para verificar se foi devidamente aceite e se não há erros centrais. No caso de existir algum erro de preenchimento pode fazer a sua correção no prazo de 30 dias ao entrar no portal e seguir os passos seguintes: “Cidadãos – Entregar – IRS – Corrigir”.

12º – Por fim, para ter um comprovativo da entrega da sua declaração de IRS 2015 deve voltar a entrar no Portal da Finanças e quando o estado da sua declaração estiver Aprovado deve entrar na opção de “Serviços Online – Contribuintes – Comprovativos – IRS”.

Agora que já sabe como preencher o IRS 2015 verifique se tem a senha de acesso ao Portal da Finanças e reúna toda a papelada necessária, depois é só introduzir os dados necessários com a devida atenção para evitar erros.

Nesta etapa não se esqueça de utilizar um simulador de IRS, para que possa saber com o que pode contar. Fazer uma simulação é algo extremamente fácil e rápido e que permite antecipar quanto vai receber ou pagar de IRS.

O Que Fazer Caso Surjam Dúvidas Ao Realizar a Entrega do IRS 2015

Mesmo com toda esta informação, é possível que encontre dificuldades ao proceder à entrega do IRS 2015. A realidade é que são tantas as variáveis implícitas na entrega desta declaração são tantas, que podem sempre surgir percalços e imprevistos.

Se a entrega do IRS lhe tiver corrido normalmente, então excelente, contudo se encontrou uma barreira que não consegue ultrapassar, pode sempre procurar apoio gratuito junto de várias instituições e Juntas de Freguesias, que disponibilizam atualmente este serviço. Em alternativa, pode contactar a Autoridade Tributária e Aduaneira e expor a situação através de telefone, ou mesmo por e-mail.

Se está a proceder à entrega do IRS com base neste artigo do NValores não hesite em partilhar a sua experiência connosco, utilizando a caixa de comentários.

Este artigo foi útil?

Há alguma informação importante que deveríamos ter referido e da qual nos esquecemos?Ver especial irs 2015