As melhores dicas para poupar no IRS em 2018

As melhores dicas para poupar no IRS em 2018

By | 2018-04-06T19:29:07+00:00 06/04/2018|Categories: Impostos|Tags: |

Infelizmente a grande maioria dos contribuintes portugueses apenas se lembra de poupar no IRS na altura de preencher e entregar a declaração anual de rendimentos, uma vez que é nessa altura que se apercebem que não fizeram descontos suficientes para abater à coleta.

Embora para a entrega da declaração de IRS que está a ocorrer atualmente já não seja possível maximizar os descontos, iremos deixar-lhe algumas dicas para poupar no IRS em 2018.

Tenha desde já em conta que se quer ter um alívio fiscal no valor que irá ter de pagar ou ter uma surpresa positiva no valor que irá receber, é importante que peça fatura com contribuinte ao longo do ano.

Para poupar no IRS em 2018, não basta juntar muitas faturas (claro que isso é uma parte essencial de todo o processo). Deve é juntar faturas das categorias certas (embora, no caso de não ter faturas de determinadas categorias não vai gastar dinheiro propositadamente para apresentar essa fatura na sua declaração de IRS anual).

Assim sendo, e para o conseguirmos ajudar um pouco mais, apresentamos-lhe de seguida uma lista que lhe vai fornecer as dicas essenciais para poupar no IRS em 2018, permitindo-lhe pagar menos (ou receber mais) em 2019.

Como poupar no IRS em 2018?

Ninguém gosta de pagar IRS, contudo, muitos contribuintes pagam ainda mais do que aquilo que é efetivamente necessário, simplesmente porque não podem fatura com contribuinte de forma recorrente.

Desta forma, quando procedem ao preenchimento e entrega da declaração de IRS não têm valores para abater à coleta.

De seguida indicamos-lhe algumas dicas simples para conseguir poupar ao máximo no IRS em 2018.

1 – Peça sempre fatura com contribuinte

Pois bem, embora este seja um hábito que se encontra enraizado na vida de milhares de portugueses, a verdade é que existem tantos outros que continuam a abdicar do NIF nas suas faturas. Hoje em dia, colocar o NIF nas faturas, irá fazer com que consiga abater o máximo à coleta e dessa forma pagar menos ou receber mais.

Em 2018 continua a poder deduzir 35% das despesas gerais familiares, até ao limite de 250€ por sujeito passivo (e 500€ por casal).

E o que é que isto significa?

Pois bem, de forma resumida significa que qualquer gasto que tenha pode ser benéfico para poupar no IRS em 2018.

De seguida apresentamos-lhes as diferentes categorias de IRS, assim como as deduções máximas permitidas de abate à coleta.

2 – Despesas de saúde

No que concerne esta área pode deduzir até 15% de todas as despesas realizadas, com um teto máximo dedutível de 1.000€.

3 – Despesas com a habitação

Se tem uma casa arrendada (e com contrato em vigor), saiba que pode deduzir 15% do valor que paga anualmente das rendas, até ao teto máximo de 502€.

Se pelo contrário tem um crédito habitação em vigor anterior a 2011 pode deduzir também 15% dos juros do empréstimo com o teto máximo dedutível de 296€.

4 – Despesas de educação

Para quem estuda ou tem filhos em idade escolar, as despesas com esta área permitem uma dedução de 30% à coleta até ao máximo de 800€.

Descubra: Que despesas de educação posso declarar no IRS 2018?

5 – Despesas com lares

Tendo em conta a esperança média de vida dos portugueses, são muitas as pessoas que por motivos de força maior têm pelo menos um familiar num lar. Se esse é o seu caso, saiba que pode deduzir 25% das despesas com esta categoria até ao teto máximo de 403,75€.

6 – Outras despesas diversas

Pois bem, se tem por hábito jantar fora, comprar passe, se tem um animal que tem anualmente despesas de veterinário e se o seu carro acaba na oficina mais vezes do que seria de esperar, saiba que pode deduzir 15% destas despesas, até ao teto máximo de 250€.

Porque é que é tão importante a verificação do e-fatura?

A verdade é que não é só pedir fatura com NIF que é importante, verificar se a mesma também está inserida no e-fatura é também essencial para conseguir poupar no IRS em 2018.

Aprenda: Como validar faturas no E-Fatura?

Muitas empresas não comunicam as faturas emitidas de forma conveniente (sendo que nestes casos pode e deve inserir a mesma manualmente) ou a mesma pode ter diferentes CAEs (são os códigos que definem a atividade que realizam) e as finanças não conseguem perceber qual é a categoria em que a mesma se insere (neste caso deve validar a mesma e inserir o campo de atividade correspondente).

Se verificar que uma determinada fatura não se encontra registada, deve inseri-la manualmente e comunicar às finanças que a empresa não declarou a fatura (uma vez que o principal motivo além da poupança no IRS em 2018 é combater a economia paralela nas empresas).

Estas são as nossas dicas simples e práticas para conseguir poupar ao máximo no IRS em 2018, contudo, se tiver alguma dúvida ou questão relativamente a este tema, créditos ou investimentos, não hesite em contactar-nos pois estamos à sua inteira disposição para qualquer esclarecimento adicional.

Veja também:

Gosta do nosso trabalho?

Siga a nossa página no Facebook

By | 2018-04-06T19:29:07+00:00 06/04/2018|Categories: Impostos|Tags: |

About the Author:

Ricardo Rodrigues é consultor financeiro independente e presta serviços de consultoria financeira em crédito pessoal, crédito consolidado e crédito habitação. Email: geral@nvalores.pt

One Comment

  1. David rocha 31/08/2016 at 14:15 - Reply

    Boa tarde eu começei a trabalhar a 1 de abril de 2016 qunado é meto o IRS?

Leave A Comment